Publicado por: Quatro Cantos do Mundo | 28/11/2010

¿Nacido para viajar o crecer con la ilusión de viajar? Esta es la pregunta que me ha rondado durante mucho tiempo

Vista do Rio de Janeiro à noite

Olá pessoal, hoje vamos postar o relato do espanhol Jesus Lopez sobre sua viagem a América do Sul. Ele viajou por um mês entre Argentina e Brasil e o post traz a visão de um estrangeiro sobre nosso país. O texto original está em espanhol e fizemos uma tradução livre para o português. Jesus, gracias por tu contribución!

Caso queira compartilhar aqui sua experiência, seu relato será muito bem-vindo.

¿Nacido para viajar o crecer con la ilusión de viajar? Esta es la pregunta que me ha rondado durante mucho tiempo

Resulta curioso planear un viaje de envergadura en un bar y contando con gente que aún no conocía. El vino hace milagros. Este hecho se ha convertido en una adicción que todavía no ha sido fácil de superar. No obstante, sólo pienso en una cosa, el mundo y la vida ofrece maravillas por descubrir.

El año pasado viajamos por ocho países de Europa del Este en un solo mes. Cuando pensé que había realizado una proeza de viaje conocí a otras personas cuyo viaje había sido más impresionante que el mío. Así fue como conocí a mis amigos Eder y Fabiana. Ellos nos invitaron a visitar Brasil, su país, y eso es lo que hemos hecho este verano. A principios de agosto volamos de España a Buenos Aires. Pasamos en pocas horas del calor español a las gélidas temperaturas de Argentina.

Nuestras referencias europeas no funcionan en Sudamérica, porque son distancias muy grandes. Por lo tanto, no había tiempo que perder; teníamos que ver muchas cosas en poco tiempo. Recorrimos grandes distancias en diversos aviones y autobuses como si fuese una sola parada de metro. Los coches alquilados nos facilitaron desplazarnos a gran velocidad.

De la gran ciudad Argentina fuimos en busca del calmado mar de la Península Valdés, con el fin de ver el juego de las ballenas y lobos marinos. A continuación, visitamos los siete lagos de Bariloche atravesando su famosa nacional 40 y escuchando los sonidos de su “Cerro Tronador”. No satisfechos con este glaciar, fuimos a uno más impresionante: “El Perito Moreno”.

Perito Moreno

Cansados del frío, decidimos ir a tierras más cálidas y acercarnos a nuestro objetivo: Brasil. Verdaderamente, las cataratas de Iguazú se pueden considerar “maravillas naturales”. En todo momento, el agua se mezcla con la frondosa vegetación. Todo este vergel está enmarcado de continuos arcos iris.

La selva brasileña no se queda atrás. La ciudad de Bonito, en Mato Grosso do Sul, es el refugio de interesantes plantas y animales, algo imposible de deslumbrar en el territorio europeo.

Dirección a la costa visitamos Río de Janeiro. Las playas, el Cristo del Concorvado y el Pan de Azúcar eran paradas obligatorias. Allí, se reunieron nuestros amigos René y José Luiz, entre otros. ¡Qué decir de la comida: fue maravillosa. En Isla Grande pudimos disfrutar de las bellezas de la naturaleza que aún no han sido destruidas por el hombre. No sólo estuvimos fascinados por su paisaje sino también por la amabilidad de su gente. Por último, llegamos a Sao Paulo. Un sueño y una realidad se juntaron en poco tiempo. Volvimos a ver a nuestros amigos, Eder y Fabiana, después de un año y en un continente diferente. Hubo momentos de debate, recordando los momentos vividos. Estamos seguros que nos vamos a encontrar en otras partes del mundo y así continuar nuestras experiencias.

Feijoada e samba na quadra da Vai-Vai

Llegó al fin el mes de agosto. Después de un mes teníamos que regresar a España y volver al trabajo. Solamente las fotos nos ayudarán a recordar los bellos momentos y, sobre todo, ilusionarnos para continuar el viaje para el próximo año.

Nascido para viajar ou crescer com o sonho de viajar? Essa é a pergunta que me perseguiu durante muito tempo

É curioso planejar uma grande viagem em um bar e com pessoas que ainda não conhecia. O vinho faz milagres. Isto se tornou um vício que ainda não foi fácil de superar. No entanto, só penso em uma coisa, o mundo e a vida oferecem maravilhas a serem descobertas.

No ano passado, em um só mês, viajamos por oito países do Leste Europeu. Quando pensei que havia realizado uma proeza, conheci outras pessoas cuja viagem tinha sido mais impressionante que a minha. Foi assim que conheci meus amigos Eder e Fabiana. Eles nos convidaram para visitar o Brasil, seu país, e foi isso o que fizemos neste verão. No início de agosto voamos da Espanha a Buenos Aires. Em poucas horas, passamos do calor espanhol as gélidas temperaturas da Argentina.

Nossas referências européias não funcionam na América do Sul, porque as distâncias são muito grandes. Portanto, não havia tempo a perder; tínhamos que ver muitas coisas em pouco tempo. Percorremos grandes distâncias, em aviões e ônibus, como se fosse somente uma parada de metrô. Os carros alugados facilitaram nossa locomoção em alta velocidade.

Da grande cidade Argentina fomos em busca do mar calmo da Península Valdés, com o objetivo de ver a brincadeira das baleias e dos lobos marinhos. Em seguida, visitamos os sete lagos de Bariloche, atravessando sua famosa estrada nacional 40 e escutando o som do seu “Cerro Tronador”. Não satisfeitos com este glaciar, fomos a um glaciar mais impressionante “o Perito Moreno”.

Cansados do frio, decidimos ir a terras mais quentes e chegar mais perto do nosso objetivo: Brasil. Com certeza, as Cataratas do Iguaçu podem ser consideradas “Maravilhas Naturais”. A todo o momento, a água se mescla com a frondosa vegetação e todo esse jardim é marcado por contínuos arco-íris.

A floresta brasileira não fica para trás. A cidade de Bonito, no Mato Grosso do Sul, é o refúgio de interessantes plantas e animais, algo impossível de se ver no território europeu.

Em direção a costa, visitamos o Rio de Janeiro: as praias, o cristo do Corcovado e o Pão de Açúcar foram paradas obrigatórias. Ali, se reuniram nossos amigos René e José Luiz, entre outros. O que dizer da comida: maravilhosa! Na Ilha Grande pudemos desfrutar das belezas naturais que ainda não foram destruídas pelo homem. Não somente ficamos fascinados por sua paisagem, mas também pela amabilidade de seu povo. Finalmente, chegamos a São Paulo, um sonho e uma realidade se encontraram rapidamente. Voltamos a ver nossos amigos, Eder e Fabiana, depois de um ano em outro continente. Houve momentos de debate recordando os momentos vividos. Temos certeza que vamos nos encontrar em outras partes do mundo e assim continuar nossas experiências.

Chegou ao fim o mês de agosto. Depois de um mês, tínhamos que regressar a Espanha e voltar ao trabalho. Somente as fotos nos ajudarão a recordar os bons momentos e, sobretudo, sonhar para continuar a viagem no próximo ano.

Veja também:

Casa Rosada – Buenos Aires

Zanzibar – Paraíso na terra


Responses

  1. […] ¿Nacido para viajar o crecer con la ilusión de viajar? Esta es la pregunta que me ha rondado duran… -25.546898 -54.588172 Share this:FacebookTwitterEmailPinterestMaisOrkutStumbleUponGostar disso:GosteiSeja o primeiro a gostar disso. […]

  2. […] ¿Nacido para viajar o crecer con la ilusión de viajar? Esta es la pregunta que me ha rondado duran… -25.546898 -54.588172 Share this:FacebookTwitterEmailPinterestMaisOrkutStumbleUponGostar disso:GosteiUm blogueiro gostou disso. […]


Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Categorias

%d blogueiros gostam disto: