Publicado por: Eder & Fabi Rezende | 25/02/2011

No Reino da Dinamarca, de onde vem tanta felicidade?

Pier de Copenhague

Copenhague é uma das cidades que eu e a Fabi gostaríamos de morar um dia, a outra é Viena. A cidade não tem congestionamentos e nem poluição dos carros, pois todos utilizam a bicicleta como principal meio de transporte. O relevo é plano e há ciclovias por todos os lados. A taxa de criminalidade é baixíssima, aliás, o que é criminalidade mesmo? Diria um dinamarquês.

Mar de Bicicletas

O que mais nos chamou a atenção é que as pessoas são felizes, aliás, descobrimos que este é o país mais feliz do mundo. Nas ruas todos estão sempre sorrindo e dispostos a ajudar e isso é um fator primordial para desejarmos viver por lá um dia.

Existem várias teorias para explicar tanta felicidade e nós também desenvolvemos uma. Tivemos bastante contato com a sociedade local, pois ficamos hospedados na casa de uma amiga. A nossa teoria se baseia em três fatores:

1)      Dinheiro: o grau de importância do dinheiro nesta sociedade é bem baixo. Eles pagam mais de 50% dos salários em impostos e acreditam que é justo pelos serviços prestados pelo Estado. Os salários de um médico e de um garçom são bem parecidos, ou seja, uma sociedade bastante igualitária.

2)      Assistência Social: todos os cidadãos sabem que sempre terão suas necessidades básicas supridas pelo Estado.

3)      Liberdade: esta sociedade tem alto grau de liberdade. Foi lá que eles tiveram violentos protestos de imigrantes muçulmanos devido às charges do profeta Maomé publicadas nos jornais locais sem nenhuma censura. Esta liberdade gera um alto grau de tolerância às minorias (inclusive imigrantes). Basta caminhar alguns minutos pelo bairro de Christiania para verificar in loco. Outro traço marcante da sociedade gerado pela liberdade é a igualdade de gêneros. Por lá é comum o pai ficar em casa cuidando dos filhos enquanto a mãe trabalha. Aliás, a licença para quem tem filhos é de dois anos, período de tempo que pode ser dividido conforme a escolha do casal. Por exemplo: seis meses de licença para a mãe e um ano e meio para o pai.

Além disso, ainda existem atrações para quem está só de passagem como turista. Os canais da cidade não são tão charmosos como os de Veneza, mas vale à pena conferir em um passeio de barco. A arquitetura dos prédios é bastante peculiar e chama bastante a atenção.

Arquitetura Dinamarquesa Típica

Para finalizar passeie de bicicleta pelos quilômetros de ciclovias, caminhe pelo bairro hippie de Christiania, visite a estátua da pequena sereia de Hans Christian Andersen, saboreie a verdadeira Calsberg no museu que leva o nome da cervejaria e suba ao topo da igreja no Nosso Salvador para ver toda a cidade, dá pra ver até a Suécia.

Saida do bairro de Christiania - Placa Provocativa

A Pequena Sereia de Hans Christian Andersen

Caminhão de Entregas no Museu Calsberg

 

Veja Também:

Tour Gratuito nas principais cidades da Europax

Berlim – Museu a Céu Aberto

Itália – Roteiro de 3 semanas de Milão a Roma


Responses

  1. Simplesmente adorei!
    E achei mais legal ainda pq é justamente esse contato com a cultura local,
    que busco nas minhas viagens!

    • Olá Beta
      nos sentimos felizes com cada comentário deixado no blog. É bom saber que as pessoas estão gostando do nosso trabalho.
      Sempre que viajamos também buscamos um contato mais íntimo com a cultura local, pois esta é a finalidade de nossas viagens, conhecer culturas e pessoas em que o lugar é apenas o pano de fundo.

      valeu

  2. […] No Reino da Dinamarca, de onde vem tanta felicidade? […]

  3. Que incrível né? Mas para chegar a este nível de civilidade, teve muito chão… O povo hj tem muita educação, cultura, entendimento e respeito. Um paraíso de lugar! Morri de vontade de testemunhar esse estilo de vida dinamarquês! rsrs

    Bjs!

    Marina

    • Marina,

      Nosso país tem muito a melhorar e tem que começar pela educação, mas pra chegar no nível de civilidade dos países nórdicos é muito difícil. Por isso, precisamos viajar e conhecer de perto esses paraísos.

      Bjs,

      Paulo

  4. […] No Reino da Dinamarca, de onde vem tanta felicidade? […]

  5. com certeza os fatores citados fazem parte desta grande felicidade, educação, respeito e entendimento…..mas todos estes fatores estão enraizados em um fator maior-a educação Cristã (Luterana) que os países nórdicos possuem…ou seja Cristo….uma educação que prega a salvação pela Graça de Deus através da obra redentora de Cristo na cruz….

    bjs….Ademir

    • Oi Ademir
      valeu pela mensagem. Os países nórdicos tem muito a nos ensinar em termos de sociedade. Temos muita vontade de voltar um dia.

      Continue nos seguindo e deixando mensagens

      abraços
      Eder

  6. […] No Reino da Dinamarca, de onde vem tanta felicidade? […]

  7. […] No Reino da Dinamarca, de onde vem tanta felicidade? 0.000000 0.000000 Share this:FacebookTwitterEmailPinterestMaisOrkutStumbleUponGostar disso:GosteiSeja o primeiro a gostar disso. […]

  8. […] No Reino da Dinamarca, de onde vem tanta felicidade? […]

  9. […] Pagam-se altos impostos, mas o retorno é garantido com uma das melhores assistências sociais do mundo. A criminalidade é muito baixa já que praticamente não existe diferença social. Então me pergunto: onde foram parar os bárbaros que roubavam e saqueavam? Para saber mais sobre a sociedade dinamarquesa leia: No Reino da Dinamarca, de onde vem tanta felicidade? […]

  10. […] No Reino da Dinamarca, de onde vem tanta felicidade? […]


Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Categorias

%d blogueiros gostam disto: