Publicado por: Carol & Paulo Mendes | 24/04/2011

Bicing: uma solução para São Paulo?

Conhecendo Barcelona pelas rodas da BICING

Você imagina como seria uma cidade grande cheia de ciclovias onde você se sentisse seguro para ir trabalhar, estudar ou ir a balada de bicicleta? Se você já esteve na Europa, me responderá que não só consegue imaginar, como me fará uma lista de cidades com essa característica. E se eu te dissesse que nessa cidade a prefeitura ainda te fornece a bicicleta como meio de transporte? Talvez essa situação seja um pouco mais difícil de imaginar e algumas perguntas podem surgir: como funcionaria um sistema como esse? Quem poderia utilizá-lo? Como garantir que as bicicletas não sumam ou fiquem em mal estado?

Foram exatamente essas perguntas que fiz quando cheguei a Barcelona e conheci o Bicing, sistema de transportes público baseado no uso da bicicleta. Em reportagem da Veja São Paulo, do dia 03/04/11, foi mostrado que uma das soluções para melhorar o trânsito em São Paulo seria a implantação de um sistema como este. No período que morei na cidade tive o prazer de utilizar as bicicletas da prefeitura e entender melhor seus pontos positivos e negativos.

O Bicing é um sistema de transporte que só pode ser usado pelos moradores de Barcelona. O primeiro passo é fazer o cadastro pela internet e pagar uma taxa anual de 30 euros que é debitada diretamente no cartão de crédito. Em poucos dias o cartão do Bicing chega em casa pelo correio.

Espalhadas pela cidade existem mais de 400 pontos com bicicletas e sempre existe um muito próximo de casa. O funcionamento é bem simples, aproxima-se o cartão do sensor e o visor indica o número da bicicleta que foi liberada. Porém, muitas vezes a bicicleta selecionada tem algum tipo de problema como: pneu murcho, falta de freios ou problemas mecânicos. Nestes casos, é só devolver a bicicleta e passar o cartão novamente.

Ponto de Bicicletas da BICING

O sistema foi pensado de modo que as bicicletas sejam utilizadas em pequenos percursos. Em trajetos mais longos, o bicing deve ser combinado a outros meios de transporte como por exemplo o metrô. Muitas vezes eu pegava uma bicicleta até a estação do metrô próxima de casa, tomava o metrô até a estação desejada e pegava novamente uma bicicleta até o destino final. Os primeiros 30 minutos de utilização da bike estão incluídos na taxa anual, entre 30 minutos e 2 horas paga-se 0,50 euros a cada meia hora de uso extra. Excedidas as 2 horas, o usuário paga uma multa, recebe um aviso e após 3 infrações é desligado do sistema. Dica: é possível utilizar a bike por 30 minutos, devolvê-la, esperar 10 minutos e pegar outra bike sem pagar nada.

Ciclista percorrendo a cidade com bicicleta da BICING

Bicicleta com patrocínio do Tour de France que passou na cidade esse ano

As bicicletas disponíveis não são de última tecnologia, pelo contrário são modelos antigos e de tamanho pequeno. Como o uso de capacetes não é obrigatório, as bicicletas pequenas impedem que se consiga andar em alta velocidade. Apesar de serem simples, as bicicletas têm três marchas, para auxiliar principalmente nas subidas, e uma cestinha na frente, para carregar o que for necessário.

Apesar de ser um excelente, o sistema tem alguns probleminhas, os principais são:

– Não encontrar bicicleta disponível no ponto por todas já terem sido retiradas ou por estarem em mal estado;

– Sistema fora do ar;

– Ao chegar numa estação para devolver a bike e ela estar totalmente cheia. Neste caso, tinha que sair buscando a estação mais próxima para deixar a bicicleta antes de estourar os 30 minutos.

Fora isso, o sistema funciona muito bem: diminui o trânsito, melhora a qualidade do ar, chega a locais onde o metrô não está e ainda te dá a oportunidade de particar um exercicio físico enquanto se locomove para o trabalho ou para a universidade. Todas as noites, uma equipe passa redistribuindo as bicicletas pelas estações, recolhendo as bicicletas que estão em mal estado para levar para a manutenção e recolocando as que já foram consertadas.

Para mim, utilizar o Bicing como meio de transporte por quase um ano foi sensacional, pois perdi peso, fazia exercícios diariamente, chegava muito mais rápido aos lugares e o gasto com transporte era mínimo. Porém, o sistema funciona bem em Barcelona porque a cidade tem uma rede de ciclovias bem estruturada, excelente se comparada a São Paulo e o mais importante é que o motorista respeita o ciclista nos locais onde as ciclovias não existem.

Será que a Vejinha tem razão? Será que São Paulo está preparada para um sistema como esse? Deixe sua opinião a respeito!

Veja Também:

4º Encontro dos Viajantes – Conhecendo a Europa em duas rodas

4º Encontro dos Viajantes – Pedal na Europa (Vídeo)

Top Barcelona Gratuito


Responses

  1. […] Bicing: uma solução para São Paulo? […]

  2. Que saudade!!
    Ainda tenho meu cartão do Bicing, rsrs…

    • Vinícius,

      São Paulo ter um sistema como do Bicing seria sensacional, mas antes tem que investir muito em ciclovias. Tenho guardado o meu cartão do Bicing que é uma lembrança da boa época que passei em Barcelona.

      Abs,

      Paulo

  3. […] Bicing: uma solução para São Paulo? […]


Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Categorias

%d blogueiros gostam disto: