Publicado por: Eder & Fabi Rezende | 02/08/2011

As Excentricidades de uma ex-república soviética chamada Uzbequistão

Cúpulas do mausoléu Shakhi-Zinda

Cúpulas do mausoléu Shakhi-Zinda

O nome Uzbequistão remete a nenhuma lembrança. Não existe aquela correlação imediata como: Itália e pizza, Argentina e churrasco ou Brasil e futebol. Alguns poucos brasileiros lembram do Cazaquistão, o vizinho um pouco mais famoso pelo filme “Borat”. Outro grupo muito menor e apaixonado por futebol recordará que Felipão (hoje no Palmeiras) e Rivaldo (hoje no São Paulo) já atuaram por lá. Mas a imensa maioria repetiria a mesma pergunta que nossos amigos nos fizeram ao anunciarmos nosso destino de férias: Uzbe o que?

Após reunirmos algumas poucas informações sobre o país, desembarcamos na capital Tashkent para encarar mais esta aventura. Com o passar dos dias percebemos que o Uzbequistão é realmente o destino mais excêntrico que visitamos em nossas vidas até agora. Se levarmos em conta que nos aproximamos de alcançar 50 países visitados, podem esperar muito exotismo neste post.

Mas vamos aos fatos. Começaremos narrando as situações menos inusitadas para não afugentar possíveis turistas deste país que só tem 20 anos de independência.

É raro encontrar alguém que fala inglês por lá. Até ai nenhuma novidade pra nós. Tunísia, Marrocos, China, Rússia e o próprio Brasil também não são conhecidos pela fluência do idioma inglês de sua população. O mais surpreendente é que passados 20 anos do fim do julgo soviético, as crianças continuam estudando russo como segunda língua na escola. Definitivamente a globalização da língua inglesa ainda não chegou por lá.

Outro traço marcante da cultura local são os casamentos. Esta cerimônia tão fora de moda no Ocidente, ainda é must na sociedade uzbeque. Presenciamos pelo menos um casamento por dia, nos 14 dias que estivemos por lá. A febre dos casamentos não escolhe dia nem horário. Presenciamos casamentos até de segunda feira à noite. Os homens se casam aos 21 anos e as mulheres por volta dos 17. Aos 31 anos, os casais já costumam ter 4 ou 5 filhos. Ao contrário daqui, as mulheres pouco pensam em suas carreiras, o importante mesmo é conseguir um marido. A procura é tão grande que até eu recebi uma proposta para casar de uma jovem local e o mais engraçado sem escutar uma só palavra. Ao me ver ela sorriu e com o dedo indicador fez um círculo em volta do próprio rosto, apontou o indicador para mim e por fim fez um sinal de positivo, indicando que eu era bonito, pelo menos para os padrões locais. Logo após este elogio veio o pedido. Ela apontou para si mesma e para mim e entrelaçou os dedos indicadores de suas mãos (símbolo de casamento na cultura local). Polidamente agradeci o pedido e mostrei minha aliança na mão esquerda informando que já era casado. Ela não se fez de rogada e indicou que poderia ser minha segunda esposa (na religião muçulmana é permitido até 5 esposas, desde que o homem tenha condição de manter a todas) e logo após soltou uma baita gargalhada que foi acompanhada por todos no local, inclusive eu mesmo. Esta é uma instituição tão marcante na vida local que nós mesmos fomos convidados para várias festas de casamento, evidenciando mais um traço da cultura local: a hospitalidade. Nosso amigo espanhol Jesus foi a uma destas festas e adorou.

A uzbeque que me pediu em casamento

A uzbeque que me pediu em casamento

A moda uzbeque também é outra fonte inesgotável de exotismo para nossos padrões. Nos sentimos um pouco como em um desfile de modas da década de 60. Homens com suas calças e camisas de linho que nem nossos avós usam mais, mas continuam na moda por lá. Mulheres com roupas muito longas e antigas apesar do imenso calor. Mas o ponto alto da excentricidade foram os acessórios. Por aqui já tivemos a moda dos piercings e tatuagens. No Uzbequistão um sorriso de ouro é sinal de que você segue as últimas tendências. É isso mesmo, eles adoram dentes de ouro, que um pouco mais tarde descobrimos serem apenas dourados, afinal de contas ouro é muito luxo para um país subdesenvolvido. Era muito engraçado ver os sorrisos reluzentes ao sol a cada conversa.

Sorriso dourado, última moda uzbeque

Sorriso dourado, última moda uzbeque

Dinheiro é outro assunto que provoca gargalhadas neste país tão exótico. Qualquer viajante experiente recomendaria trocar dinheiro somente em casas de cambio oficiais. Mas como toda regra existe para ser quebrada, esta é mais uma que não vale no Uzbequistão. No cambio oficial um dólar vale 1700 soms (moeda local) e no cambio negro o mesmo dólar vale 2400 soms. Então a regra por lá é sempre trocar dinheiro na rua. A chance de você pegar notas falsas é muita pequena já que ninguém quer falsificar um dinheiro que não vale nada.  As situações mais engraçadas vêem justamente do fato do dinheiro não valer quase nada. É comum, mas não menos hilário, ver pessoas caminhando calmamente pelas ruas com sacos transparentes cheios de dinheiro para pagar suas contas. Nós mesmos para pagar nossas passagens de trem pelo país gastávamos facilmente 100.000 sums, que eram contados em mais ou menos 10 minutos (afinal contar 200 notas de 500 sums não é fácil, pelo menos para brasileiros). Os uzbeques, com muito mais prática contavam bem mais rápido ou utilizavam aquelas máquinas de contar notas tão comum em bancos no ocidente e espalhadas por todo Uzbequistão. Dêem uma olhada na bolada de grana que tínhamos em mãos, pouco mais de 200 dólares, mas o volume é assustador.

Fabi com muito dinheiro, ou será muito papel?

Fabi com muito dinheiro, ou será muito papel?

Eles ainda conservam o controle obsessivo do Estado sobre a sociedade, herança da antiga URSS. Em cada hotel ou B&B que nos hospedamos, os proprietários eram obrigados a nos registrar e informar ao Estado nossos passos. Os uzbeques não possuem documento de identidade. Este é substituído pelo passaporte que é carimbado a cada mudança de estado. Assim depois de um tempo ficou claro porque encontramos tantas pessoas com passaporte nas mãos para comprar bilhetes de trem de uma cidade a outra. Este controle era ainda mais sufocante na capital Tashkent, mas este assunto será mais detalhado em outro post.

Para finalizar voltamos ao tema casamento. Em nosso último hotel fomos perguntados se não tínhamos nenhum carimbo em nossos passaportes (meu e da Fabi) para comprovar que éramos casados. Respondemos com uma pergunta: mas porque isso seria necessário? A resposta foi imediata: Evitar que casais não casados se hospedem no mesmo quarto. Parece algo antigo até para nossos tataravôs, mas é assim que a coisa funciona na República do Uzbequistão.

Nossa rotina diária de casamentos

Nossa rotina diária de casamentos

As esquisitices do Uzbequistão foram uma das grandes atrações do país e um dos motivos de termos gostado tanto deste lugar. Afinal viajamos para nos divertir, conhecer lugares deslumbrantes, mas também para saber como vivem outros seres humanos ao redor do mundo. Isso nos ajuda a reforçar os bons hábitos e costumes de nossa sociedade, mas principalmente nos faz refletir sobre o que devemos mudar.

Veja Também:

Samarkand – Muito além de qualquer rótulo

Siob Bazaar – A Disneylândia dos mochileiros

Como tirar o visto para o Uzbequistão

Turismo sem pré-conceitos


Responses

  1. Super interessante o post, adorei conhecer um pouco mais desta cultura!

    • Olá Simone,
      como falamos no próprio post, viajamos para conhecer lugares, mas principalmente pessoas e modos de vida distintos do nosso. O Uzbequistão tem uma cultura muito peculiar e própria que adoramos conhecer. Valeu muito a pena.
      Continue nos acompanhando pois em breve teremos mais posts sobre esta viagem inesquecível.

      valeu

      Eder

  2. Ual… O que vocês foram fazer no Uzbequistão?!?! Post super informativo..
    Muito legal…

    Abraço

    • Olá
      ouvimos esta pergunta algumas dezenas de vezes, rsrsrsrs. Queríamos conhecer algum país da Ásia Central, pois nunca havíamos visitado esta região. Após muita pesquisa, elegemos o Uzbequistão e não nos arrependemos. Como você deve ter percebido pelo post o país é fascinante e esta foi apenas uma pequena amostra do que vivemos por lá.
      Aguarde os próximos posts que virão em breve

      grande abraço
      Eder

    • Puxa, essa perguntinha é cretina, hein🙂

      • Sinceramente, nao acho que existe pergunta cretina, à menos que seja desrespeitosa, ai ja entra em outro critério. É um paìs que esta fora da lista turistica, portanto é normal que as pessoas se surpreendam de ver que existe algo interessante por la. Muitos nao sabem nem que este paìs existe.

      • Olá Simone
        concordo contigo que toda pergunta tem que ser respondida, mas vamos usar este espaço para um debate mais amigável e que contribua com as viagens de todos nós.

        abraços e continue nos seguindo.
        Eder

  3. E o que tem para se fazer lá?

    • Olá Gabriela
      o Uzbequistão fica na antiga rota da seda que vinha da China e cruzava toda Ásia até a Europa. Por este motivo tem cidades que foram muito ricas no passado e conservam suas mesquitas, medressas (escolas do Corão) e outros edifícios suntuosos dos séculos XIII, XIV e XV. Também foi parte do império mongol de Gengis Khan, formou seu próprio império liderado por Amir Timur (Tamerland) e mais recentemente foi parte do imperio russo dos czares e parte da URSS. Eles tem muita história pra contar.

      Acompanhe os próximos posts sobre o país, você vai gostar.

      bjs
      Eder

  4. Maravilha de viagem e experiência de vida. Parabéns Eder e Fabi. Abraços e saudades.
    João

    • Grande João
      realmente mais uma viagem que deixará saudades. Valeram demais as experiências que passamos.

      grande abraço

      Eder e Fabi

  5. Que legal!
    Você podia ter dado meu telefone para a Uzeque! Rssss

    Abraço e parabens pela viagem!

    Marcos

    • É Marcos eu podia ter dado seu telefone sim, mas por consideração a minha amiga Pietra e também pela grande consideração que tenho por sua pele achei melhor ficar em silêncio,rsrsrsrs.

      Estamos esperando o jantar.

      abraços
      Eder

  6. Parabéns por mais esta…
    Todo o dia aprendemos coisas novas. Nosso mundo parece inesgotável de novidades,não é mesmo???

    • Olá Fernando,
      legal que você gostou do post. A grande razão de viajarmos para lugares ditos exóticos é conhecer novas maneiras de se viver. Neste quesito o Uzbequistão é demais.
      Realmente quanto mais viajamos, mais descobrimos que pouco conhecemos.

      Continuamos tão ávidos por novidades como em nossa primeira viagem. Este espírito acho que não perderemos nunca.

      grande abraço e valeu pela mensagem
      Eder

  7. Gente, simplesmente sensacional!!! Amei o post!!! Tão sublime que me conduziu ao próprio Uzbequistão!!

    Ele estava na minha listinha de destinos não-convencionais das promoções das cias aéreas. Aqui de Dubai tem vôo baratinho para lá, mas tinha receio das dificuldades de se visitar um país deste tipo. O meu roteiro era Almaty, no Cazaquistão; Bishkek no Kirgistão; Taskhent e Samarkand no Uzbequistão; e talvez incluindo Ashgabat no Turcomenistão…. Parece coisa de gente doida, né? Ainda bem que arrumei outros dois doidos para me inspirar!!🙂

    Vou ler a série toda!!! Já estou curiosa para ver os detalhes de visto e os demais “causos” que vcs certamente tem para contar!

    Beijos e parabéns! 🙂

    • Oi Fê,
      você não sabe a alegria que sentimos a ler sua mensagem. Primeiro por saber que você gostou do post, depois porque nos sentimos menos “esquisitos” ao saber que existem outras pessoas interessadas em visitar estes países. Temos certeza que você vai adorar o Uzbequistão, além da beleza arquitetônica, um povo super hospitaleiro.
      Também gostaríamos muito de conhecer Cazaquistão, Quirgistão, Turcomenistão e tem também o Tadiquistão, mas nesta viagem não deu tempo.
      Além de Tashkent e Samarkand, recomentamos também Bukhara. Você pode conseguir seu visto no aeroporto mesmo (desde que tenha uma carta convite que pode ser comprada na internet como fizemos) ou no consulado do Uzbequistão em Dubai:
      Consulate of Uzbekistan in United Arab Emirates
      Barsha 2, street 36B, villa 34
      City: Dubai
      Phone: +971-4-394-74-00

      Em breve novos posts, aguarde
      grande beijo

      Eder

  8. já tá de volta, picareta? vc não pagou um tratamento oftalmológico pra coitada da ceguinha q te achou bonito?

    • Fala monsieur Junior
      já estou de volta. Quanto ao tratamento, deixa para lá. A beleza está nos olhos de que vê. Se ela me achou bonit deixa ela ser feliz né.

      Avisa lá que na primeira semana de aula estarei ausente por motivo nobre: viagem a Venezuela, mas não desisti do curso não.

      abraços
      Eder

  9. Queridos Eder e Fa!
    Adorei o post! Muito feliz vcs compartilharem essas experiências maravilhosas com a gente!
    beijo carinhoso com saudade!
    Glau

    • Oi Glaúcia
      uma das partes mais gostosas das viagens é justamente compartilhar histórias com os amigos. Temos muitos causos desta viagem, precisamos agendar um jantar com a galera para contar tudo.

      bjs

      Eder

  10. […] As Excentricidades de uma ex-república soviética chamada Uzbequistão […]

  11. […] No post anterior falamos de mesquitas inesquecíveis, mausoléus riquíssimos, medressas cobertas de ouro, mas não citamos uma só palavra do que costumamos chamar de riqueza intangível de um local: seu povo, seus costumes, seus comportamentos e suas manias. Para vivenciar esta realidade nada melhor que o mercado de Samarkand, mais conhecido como Siob Bazaar, local onde fui pedido em casamento por uma uzbeque (para saber mais sobre este pedido ler em http://tinyurl.com/4xlz6y3). […]

  12. Vcs estão de parabéns!!!!! Tô adorando ler sobre a viagem e espero tb um dia ir pra lá. Realmente, inspiração não falta. E vcs são uma!!!!

    • Oi Renata
      foi uma viagem e tanto, inesquecível. Se precisar de dicas e roteiro pro Uzbequistão pode contar com nossa ajuda. Valeu pelos parabéns e dê uma olhada nos outros post sobre o país.

      beijos

      Eder

  13. Oi meu namorado foi transferido para la, e eu estou querendo ir. É facil conseguir o visto? E se puder de algumas dicas de como se portar ou vestir num pais como esse. ha e namorados pode andar na rua normalmente

    Ana

    • Olá Ana
      legal que você queira ir para lá. Temos certeza que você vai adorar. Mas vamos ao visto. Não é fácil consegui-lo, é muita burocracia, mas seguindo estes passos não tem erro. Este procedimento é válido para visto de turista com passaporte brasileiro:
      1) Você precisa de uma carta convite oficial. Esta pode ser comprada na internet. Nós compramos a nossa pela agência http://www.stantours.com/
      Nossos contatos na agência foram Alena (alena@stantours.com) e David (stantours@gmx.net). Eles fizeram um ótimo serviço. Rápido e seguro (pagamento com cartão de crédito). Recomendamos bastante.
      2) Uma vez com a carta convite em mãos (eles enviaram por email) você poderá tirar o visto. Lembrando que o Uzbequistão não tem embaixada no Brasil. A carta custou US$ 48,60 por pessoa.
      3) Este valor é referente a uma carta convite com direito a tirar o visto na chegada no aeroporto de Tashkent (capital do país). Se você pedir uma carta convite para tirar o visto em qualquer embaixada uzbeque ao redor do mundo sai mais barato, mas não vale a pena o trabalho que dá.
      4) Chegando ao aeroporto de Tashkent basta apresentar a carta impressa, passaporte válido e pagar a taxa do visto. Pagamos US$ 60 por visto com direito a estadia de 15 dias.

      A religião predominante no país é a muçulmana, mas esqueça o que você conhece pela televisão. As mulheres podem andar livremente sozinhas nas ruas de lá (locais e estrangeiras). Você pode se vestir como se estivesse no Brasil. Nada de cobrir braços e cabeça. Aliás é raro ver uma local com o tradicional véu muçulmano na cabeça. Claro que não recomendamos ficar andando de shortinho na rua, aliás nem no Brasil, mas é bem tranquilo.
      Se você for do tipo que gosta de se integrar com a sociedade local, vai adorar, pois eles são bem receptivos.
      Voamos de Moscou para Tashkent com parada em Kiev. Sugiro buscar os voos no site http://www.momondo.com

      Mais dúvidas é só entrar em contato
      abraço e boa viagem
      Eder

  14. […] As Excentricidades de uma ex-república soviética chamada Uzbequistão 0.000000 0.000000 Share this:FacebookTwitterEmailMaisOrkutStumbleUponGostar disso:GostoSeja o primeiro a gostar disso post. […]

  15. Eder,
    E você chegou a saber pQ o Cazaquistão, é amigo de todos, menos do Uzbequistão? Queria muito saber isso.
    Abraços
    Carlos

    • Carlos

      a história é longa. Hoje os cazaques são os mais ricos e desenvolvidos da região porque tem petróleo, mas no passado a coisa foi diferente.
      Em resumo os Uzbeques vieram do sul da Sibéria (parentes de Gengis Khan) no século 14 e dominaram a região onde hoje é o Uzbequistão e era dominada pelos Cazaques. Os uzbeques impuseram seu modo de vida urbano com agricultura fixada em um local, enquanto os cazaques foram expulsos e preferiam viver como nômades. O líder cazaque foi como nômade até o atual Afeganistão e depois Índia sem nunca se esquecer de sua terra natal e morreu no exílio. Por isso a rivalidade até hoje.

      abs

      Eder

  16. […] que digamos não é o mesmo daqui. Para saber mais sobre este país chamado de exótico leia As Excentricidades de um ex-república soviética chamada Uzbequistão. Mc Donald´s do Uzbequistão Fazendo na segurança do quarto do albergue o que todo mundo faz na […]

  17. […] As Excentricidades de uma ex-república soviética chamada Uzbequistão […]

  18. […] As Excentricidades de uma ex-república soviética chamada Uzbequistão […]

  19. […] As Excentricidades de uma ex-república soviética chamada Uzbequistão […]

  20. […] As Excentricidades de uma ex-república soviética chamada Uzbequistão […]

  21. Amei o post! Quero saber mais da viagem de vcs… Há mais posts? Ja achei o do visto!

  22. […] As Excentricidades de uma ex-república soviética chamada Uzbequistão […]

  23. Cara, achei incrível seu post e seu senso de humor, nota 10…
    E realmente é verídico!
    Conheci uma “Uzbeque citizen” (Por um app) e com menos de uma semana ela já queria que eu fosse pro país dela para nos casarmos hahahaha

  24. Gostei tanto do post que estou pensando em ir pra lá. Mas,me diz,quanto tempo demora o visto ? E como vc encontrou pousada? Como fez com o idioma? Alguma dica de como organizar essa viagem? É cara? Valeu😉

    • Ola Thais
      a carta convite demora pouco mais de um mês, ai o visto você tira no aeroporto.
      As pousadas encontrei na net, mas posso te passar os nomes depois. Poucos falam inglês mas são bem receptivos e a mímica ajuda, é até engraçado.

      Cara vai ser a passagem até lá, mas uma vez no país não é caro não

      Para organizar basta ver todos meus posts sobre o país

      boa viagem
      Eder


Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Categorias

%d blogueiros gostam disto: