Publicado por: Eder & Fabi Rezende | 18/12/2011

Papai Noel trocou o trenó por um caminhão

Final de ano é época de botar o pé na estrada e viajar, certo? Muita gente vai dizer que sim. Porta malas lotado, todos prontos para encarar horas de trânsito, falta de água e filas intermináveis na padaria. É o sonho paulistano de passar o Reveillon na praia. Pode ser Guarujá, Praia Grande, Gonzaga ou litoral norte. Mudam os destinos, mas o stress é o mesmo. Se você cansou de tudo isso e de fazer churrasco todo dia pro seu sogro, temos uma ótima dica para sua viagem de fim de ano.

O Dono do caminhão

 Como não poderia deixar de ser nossa viagem de fim de ano inesquecível foi durante nosso mochilão de Volta ao Mundo. Exatamente no dia 23/12/2008 fomos apresentados a Cape Town e ela nos disse: muito prazer. O termo “apresentados” cabe como uma luva já que a cidade que está entre nossas cinco favoritas no mundo, tem alma própria de um ser humano. Sua personalidade pode ser descrita como vibrante e contagiante. Quatro dias passaram tão rápido que até hoje nos arrependemos de não ter ficado mais. Só pra se ter uma idéia são 43 diferentes atrações inesquecíveis para o turista. Para conhecer o que foi a casa de Mandela por 18 anos e boa parte da história do Apartheid reserve seu passeio a prisão de Robben Island com antecedência. O cartão postal da cidade também é ponto obrigatório.Você pode subir a Table Mountain pela trilha ou de teleférico. Já bateu um papo de perto com pingüins? Não, então converse com eles ao pé do ouvido na Boulders Beach. O Cabo da Boa Esperança que tanto conhecemos das aulas de história fica no Table Mountain National Park. Comprar e passear a noite tem que ser no V&A Waterfront. Além de tudo isso você pode provar alguns dos melhores vinhos do mundo em Stellenbosch ou mergulhar com tubarões nos gelados mares da região.

Conversando com pingüins

Vista da Table Mountain

 O Natal ficou para trás e agora é hora de pensar no Reveillon. Dia 26/12/2008 partimos para uma super aventura no caminhão do papai Noel. Sim, para nós ele trocou o trenó por um caminhão. Um caminhão modificado com uma incrível estrutura para nos abrigar durante 25 dias no nosso overland tour pela Mama África. Na primeira noite de tour um super jantar com direito a degustação de vinhos. Logo entramos na Namíbia, país de uma beleza exuberante e proporcional a sua obscuridade. Nos aproximando do segundo maior canyon do mundo (Fisher River Canyon) ficamos boquiabertos com a imensidão do vale, com o estranho formato da árvore Quiver e com os primeiros animais avistados: zebras. Quando pensamos ter alcançado o ápice das belezas naturais chegamos ao Deserto de Sossusvlei. Para encurtar a conversa, simplesmente o lugar mais bonito do mundo em nossa opinião, basta ver as fotos. Montanhas de pedras empilhadas com um por do sol de tirar o fôlego é Spitzkoppe. A beleza era tanta que um dos integrantes do nosso grupo declarou ser amor pelo país no para choque do caminhão. O tempo voou e o dia 31 bateu a nossa porta. Passamos a virada na cidade de veraneio de Swakopmund, conhecida como capital dos esportes radicais da Namíbia. O Reveillon na África não poderia ser nada menos do que exótico. No jantar carne de kudu ou springbok (criados em cativeiro com controle governamental) e contagem regressiva na praia, mas sem o stress mencionado no primeiro parágrafo. Este país que tanto amamos estava ficando para trás, mas a cereja do bolo ficou pro final. Foi no Etosha National Park que pela primeira vez vimos uma infinidade de animais na natureza, mas a emoção bateu mais forte ao ver ao vivo e a cores uma leoa caçando uma girafa. Nos sentimos em um documentário do National Geographic, história para contar para os netos.

Imensidão do vale em Fish River Canyon

A beleza inconfundível de Sossusvlei

O amor a Namíbia é contagiante

Etosha – zôo a céu aberto

 Nosso felicitômetro já batia recordes de alegria quando entramos na tão ou mais desconhecida Botswana. No Deserto do Kalahari passamos uma manhã conhecendo mais de perto outra atração do National Geographic: os bushman que fazem fogo só com gravetos de madeira. Nos aventuramos com nossos mokoros (canoas de madeira) chegando bem próximos aos hipopótamos no maior delta interior do mundo, o Delta do Okavango. Nosso segundo parque nacional foi o Chobe, com seus milhares de elefantes. Aliás, Botswana ficou marcada para gente como a terra do elefante. Eles podiam ser encontrados na beira das estradas feitos cachorros vira-latas ou bebendo água da piscina do nosso camping em Martins Drift.

Bushman

Bushman

Impalas no Chobe National Park

Elefante se dirigindo a piscina do camping

 Nossa passagem pela Zâmbia foi relâmpago, mas vivemos dois dias tão intensos que parecem ter sido semanas de convivência com este país de povo super amistoso. De cara fomos surpreendidos pela força da Victoria Falls. O que de longe é uma cortina de gotículas de água que se misturam com as nuvens, de perto é uma ducha a céu aberto. Esta característica peculiar que invariavelmente encharca todos os visitantes lhe rendeu o apelido de fumaça que troveja. É inevitável que a comparação com Iguaçu venha a cabeça. Mais estreita, Victoria Falls aparentam ter um volume de água muito maior, pois a água sem ter para onde escoar acaba fugindo para o céu e pousa mansamente nas capas de chuva dos turistas. Ainda na Zâmbia vivemos uma de nossas aventuras mais radicais, o rafting pelo rio Zambezi. Corredeiras níveis V e VI por duas vezes nos fizeram sair do bote e caminhar pela margem. Mesmo assim a adrenalina foi ao máximo quando o bote virou e tivemos que gastar uma das nossas sete vidas nesta oportunidade. Para os mais radicais ainda tem o bungee jump da ponte que divide Zâmbia e Zimbabwe ou a caminhada com leões. Para quem não curte tanto adrenalina recomendamos um pacato sobrevôo das cataratas em helicóptero.

A força das águas em Victoria Falls

De lá apontamos a proa do caminhão do Papai Noel para o sul e a volta a África do Sul já deixava um gostinho de fim de viagem e claro de saudade. Não sem antes passar novamente pela Botswana e conhecer o famosíssimo Kruger Park em território sul africano.

Brasileiros não precisam de visto para visitar África do Sul, Namíbia e Botswana. O visto da Zâmbia pode ser tirado na fronteira. Esta viagem não tem contra indicações. Posologia: pelo menos uma vez na vida. Prazo de validade: para sempre em suas memórias.  Reações adversas: euforia e extrema felicidade. O uso contínuo de viagens pela África pode causar Africanite (dependência crônica das belezas naturais e culturais deste continente encantador).

Quem se apaixonou pela África lendo este post e quiser saber mais detalhes de como funciona um overland tour, empresas que oferecem este serviço, preços e afins, basta  deixar uma mensagem para gente. Teremos enorme prazer em ajudar. Este post foi escrito especialmente para o especial de Natal do site http://www.sairdobrasil.com/.

Veja Também:

Os desertos da minha vida – Sossusvlei – Parte III

Três Lugares de Arrepiar os Cabelos – Museu do Apartheid – África do Sul – Parte II

Zanzibar paraíso na Terra


Responses

  1. Meus parabéns a vocês e que neste Natal vocês curtam tudo que tem direito sem esquecer de agradecer ao menino Jesus pelas viagens realizadas com sucesso em 2011 e desejamos que o ano Novo seja repleto de suce$$o na vida pessoal e profissional de vocês.
    O post de fim de ano Quatro Cantos do Mundo foi diferente e de grande significado para a humanidade. Um papai NOEL excepcional, teve até pinguins.
    Papai NOEL do Vá Conferir, foi bastante movimentado, surpreendeu a todos da família com um record de visitas. Segue o link: http://www.vaconferir.com/2010/11/arvore-natalina-viajante.html

    • Olá Walter
      não nos surpreendemos do seu post de Natal ser tão popular. Sua idéia é fantástica. Comtempla compartilhamento, recordações das viagens e ensinamentos aos mais novos. Também temos uma coleção de recordações dos lugares visitados, mas algo bem mais comum (imâs).

      Te desejamos tudo que você desejou pra gente em dobro.

      Você é um grande parceiro.

      esperamos te ver ao vivo e a cores em 2012.

      Ótimo Natal

  2. Lindas imagens, bela história.
    Enquanto isso, já me preparo para cumprir o ritual descrito no 1o. parágrafo.
    Só falta ajeitar a gaiola do papagaio e arrumar lugar no carro para o Rex.

    Feliz Natal para todos. E um ano Novo repleto de boas histórias e novas aventuras.

    • Outro grande parceiro o Fernando.
      Sempre nos seguindo.

      Amigo te desejamos um ótimo Natal na praia e um Reveillon sem falta de água, rsrsrs.

      Que continuemos firmes em 2012, com suas mensagens de incentivo.

      Feliz Natal e muitas aventuras para todos viajantes

      Quatro Cantos do Mundo

  3. Que sonho essa viagem pela África! Não sei se seria a minha praia, mas é encantador e diferente! Adoro essas aventuras! E esse ano novo qual é o roteiro?

    Beijos!

    • Olá Flávia
      se você fosse apenas uma vez para África tenho certeza que se apaixonaria por este continente como nós nos apaixonamos.
      Neste tipo de viagem de overland é bem tranquilo. Você iria gostar.

      Este ano o roteiro é ficar em casa curtindo nossa filhota que acaba de nascer.

      bjs

  4. […] Papai Noel trocou o trenó por um caminhão […]

  5. […] Papai Noel trocou o trenó por um caminhão 0.000000 0.000000 Share this:FacebookTwitterEmailMaisOrkutStumbleUponGostar disso:GostoSeja o primeiro a gostar disso post. […]

  6. […] Papai Noel trocou o trenó por um caminhão […]

  7. […] Papai Noel trocou o trenó por um caminhão […]

  8. […] Papai Noel trocou o trenó por um caminhão […]

  9. Eu me aoaixonei por este post uns tempos atras, mas anonimamente. Como voces se ofereceram e estou planejando uma viagem para a Africa do Sul gostaria das dicas e empresas que fazem estes overlands. Meu foco não era a Namibia, e sim Zambia para ver a Victoria Falls, mas depois deste post nunca se sabe né…Obrigada.

  10. […] Papai Noel trocou o trenó por um caminhão 0.000000 0.000000 Share this:FacebookTwitterEmailPinterestMaisOrkutStumbleUponGostar disso:GosteiSeja o primeiro a gostar disso. […]

  11. […] Papai Noel trocou o trenó por um caminhão […]

  12. […] este método viajando de overland pelo continente africano. Aqui aparece a primeira variação mais brusca. As pias são […]

  13. […] Papai Noel trocou o trenó por um caminhão […]

  14. Olá estou planejando esse tour para o início do ano que vem e gostaria de saber a companhia escolhida por vcs🙂
    Têm muitas opções e estou na maior dúvida!
    Att,
    Marcella.

    • Olá Marcella

      fizemos com a Acacia, mas você pode usar também a Nomad ou Africa Travel Company. Todas estas tem boas referências.

      boa viagem

      Eder

  15. […] Papai Noel trocou o trenó por um caminhão […]

  16. […] Aqui elas são chamadas de Overland tour. É um caminhão adaptado que mais parece um ônibus e que roda pela África cheio de mzungus (homens brancos) dentro. Existem inúmeras empresas que prestam este tipo de serviço. Neste caso você não precisa se preocupar com nada, o que em terras africanas é uma bela vantagem. Para saber mais sobre os overlands acesse: Papai Noel trocou o trenó por um caminhão. […]

  17. […] Aqui elas são chamadas de Overland tour. É um caminhão adaptado que mais parece um ônibus e que roda pela África cheio de mzungus (homens brancos) dentro. Existem inúmeras empresas que prestam este tipo de serviço. Neste caso você não precisa se preocupar com nada o que em terras africanas é uma bela vantagem. Para saber mais sobre os overlands acesse: Papai Noel trocou o trenó por um caminhão. […]

  18. […] Aqui elas são chamadas de Overland tour. É um caminhão adaptado que mais parece um ônibus e que roda pela África cheio de mzungus (homens brancos) dentro. Se para os outros países da África existem inúmeras empresas que prestam este tipo de serviço, em Moçambique as opções não são tantas. Neste caso você não precisa se preocupar com nada o que em terras africanas é uma bela vantagem, mas por outro lado você perde toda emoção e aventura de uma viagem em estilo local pela África. Para saber mais sobre os overlands acesse: Papai Noel trocou o trenó por um caminhão. […]

  19. […] Aqui elas são chamadas de Overland tour. É um caminhão adaptado que mais parece um ônibus e que roda pela África cheio de mzungus (homens brancos) dentro. Como a Tanzânia é um país com turismo bastante desenvolvido na região existem dezenas de empresas que oferecem este tipo de serviço. A maioria delas é inglesa e quase 100% têm suas sedes fora da África. Neste caso você não precisa se preocupar com transporte, hospedagem e alimentação, o que em terras africanas é uma bela vantagem, mas por outro lado você perde toda emoção e aventura de uma viagem em estilo local pela África. Estes tours também te levam para conhecer o Parque Nacional do Serengeti em game drives que nada mais são do que os safaris. Para saber mais sobre os overlands acesse: Papai Noel trocou o trenó por um caminhão. […]

  20. […] Papai Noel trocou o trenó por um caminhão […]

  21. […] Aqui elas são chamadas de Overland tour. É um caminhão adaptado que mais parece um ônibus e que roda pela África cheio de mzungus (homens brancos) dentro. Neste caso você não precisa se preocupar com nada o que em terras africanas é uma bela vantagem, mas por outro lado você perde toda emoção e aventura de uma viagem em estilo local pela África dentro de um matatu. Para saber mais sobre os overlands acesse: Papai Noel trocou o trenó por um caminhão. […]


Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Categorias

%d blogueiros gostam disto: