Publicado por: Eder & Fabi Rezende | 01/05/2012

A charmosa vila de Cassis na Côte d´Azur – França

No começo do ano escrevi o post Porque não gosto de escrever roteiros de viagens que gerou muita polêmica e comentários no blog. Muitos concordaram, outros não gostaram muito, mas o mais importante foi gerar discussão. Entre todos os comentários, surgiu um que chamou bastante minha atenção, pois me desafiava a escrever um roteiro detalhado de algum lugar que eu já havia visitado. Todos sabem e quem não sabia descobriu na leitura do post que não sou adepto de roteiros tipo receita de bolo: como chegar, onde ficar, onde comer e por ai vai. Mas como também adoro viver novas experiências, aceitei o desafio de nossa leitora Déborah Proença e assim nasceu meu primeiro roteiro de viagem. Como não poderia deixar de ser é um roteiro, mas recheado de histórias e aventuras.

A charmosa vila de Cassis a noite

Em se tratando de filho primogênito o local do nascimento teria que ser muito especial e inusitado. Para vocês que estão acostumados com nossas aventuras pelas savanas africanas ou por lugares exóticos do sudeste asiático, desta vez trouxemos uma surpresa. Perdi a virgindade de roteiros na Costa Azul. Costa Azul? Sim mais conhecida intimamente como Côte d´Azur. Local de veraneio de famosos, celebrizado por Brigitte Bardot. Um lugar VIP, badalado, comentado, chique, glamuroso e que dificilmente alguém imaginaria que seria um destino escolhido por Fabi e Eder. Conheçam agora a faceta fashion do Quatro Cantos do Mundo.

Primeira etapa da receita: Como chegar. Cassis é um vilarejo a cerca de trinta quilômetros de Marselha na França. Partindo de Paris você pode confortavelmente viajar no TGV até Marselha e de lá pegar um trem regional a Cassis. Tempo total do percurso de quatro horas e meia pagando cento e doze euros. Existe a opção de voar de Orly diretamente a Marselha, mas o que você economiza em tempo (uma hora e quinze minutos de viagem) gasta no cartão, quase o triplo do preço.

Planeje seu translado da estação de trem ao hotel com antecedência, pois não existem táxis a sua espera quando chegar, afinal a maior parte dos turistas usam suas próprias Mercedes ou helicópteros. Eu e a Fabi camelamos uns quarenta minutos até o centro da vila e era só o começo da nossa vida andante de Forrest Gump.

Não estranhe se ninguém falar inglês, afinal estamos no sul da França e ao contrário dos parisienses que não gostam nada da terra da rainha, por lá eles não sabem mesmo uma palavra no idioma britânico. Desenvolvemos um simples teste para diferenciar franceses que não gostam de inglês dos que não sabem. Comece uma conversa em inglês e preste atenção na fisionomia do seu interlocutor. Se a cara for esta abaixo, provavelmente ele sabe o que é um hot dog, mas te despreza por ter a petulância de dirigir a palavra a ele neste idioma inimigo.

English? Je ne parle pas

Já se a cara for esta, ele é do grupo que ignora a existência de outra língua que não a francesa. Como este segundo grupo é maioria, recomendamos que estude o básico de francês ou treine bastante a mímica antes de ir.

Treine sua mímica, pois você vai precisar

Finalmente você está no centro e prestes a preparar a segunda etapa da receita do bolo: Onde ficar. Má notícia para maioria dos nossos leitores (mochileiros e grana curta): o lugar é caro. Bom, você está a meros duzentos e vinte e três quilômetros do Principado de Mônaco, queria o que. Mas há uma luz no fim do túnel. Mais um segredo revelado: neste lugar recomendamos fazer reserva de hotel, a não ser que você passe por lá no inverno. Agora, fazer o que na praia nesta estação do ano? Nós aportamos em nosso estilo de viagem (sem reserva de hotel) e depois de muito procurar pagamos a diária mais cara de toda nossa Viagem de Volta ao Mundo (72 euros) no primeiro dia de estadia. Do segundo dia em diante ficamos no Hotel Lê Commerce pela metade do preço. Confira as tarifas atualizadas aqui: http://www.hotel-lecommerce.fr/eng/accueil.htm. Para quem procura algo sofisticado este não é um lugar indicado. É o que chamamos de hotel justo e que atende plenamente todas as necessidades de que fica em albergue, até porque o de lá é bem mal localizado.

Com um teto em cima da cabeça garantido, é hora de deixar aflorar o turista de resort que existe dentro de você, afinal mochileiro também tem seus dias de luxo principalmente na Côte d´Azur. A praia fica no máximo três quarteirões de qualquer hotel. Os homens, principalmente os brasileiros, não perceberão que o visual da natureza não é de cair o queixo. Seus olhos estarão mais ocupados com a abundância de seios por todos os lados. É grande, extra grande, pequenos, uns olhando pro céu, outros olhando pra areia. Confesso que no começo é difícil de acostumar, mas depois eles passam a fazer parte da paisagem e você nem liga mais. O mais curioso foi saber que o topless é liberado nas praias, mas não é permitido caminhar pelo calçadão a beira mar em trajes de banho (biquíni ou sunga).

Topless sim, biquini não. Vai entender

Vocês devem estar super frustrados. Puxa vida, saí do Brasil para vir até aqui e a praia nem é tão bonita assim. Nós te arranjamos um problema, mas também te damos a solução de bandeja. A combinação turista de resort + caminhada a praia deserta não dá certo, por isso você que está louco para voltar a ser mochileiro essa é sua chance de matar dois coelhos com uma só cajadada, é assim que se diz né? Se a caminhada da estação de trem ao centro da cidade não fez nem cosquinhas, se prepare para camelar bastante até as belíssimas e inesquecíveis Calanques D´en Vau, Port Miou e Port Pin. Eu também não sabia o que é uma calanque. Segundo o Wikipédia é uma formação geológica calcária encontrada no Mar Mediterrâneo que se apresenta sob a forma de um vale profundo com lados escarpados parcialmente submergido pelo mar. Para quem não entendeu é só ver as fotos.

Calanque D´en Vau

Apreciando a beleza estonteante da Calanque Port Miou

Águas turquesas da Calanque Port Pin

Apesar de não parecer isso é um roteiro de viagem, assim deixamos mais algumas dicas que para mim soam mais como conselhos de mãe aos seus filhos. Para estas trilhas leve suas botas, pois o terreno é acidentado e cheio de pedras soltas. Também recomendamos levar um lanche, pois você se dirige às praias desertas e sem ambulantes (por isso elas continuam tão belas e preservadas). Faça como os locais, baguete dentro da mochila com a ponta para fora batendo nas árvores do caminho e uma vez lá repouse-a no chão da praia que é de pedra para ser temperada com a maresia e eventuais insetos. Um ótimo acompanhamento é um vinho local. Sem perceber esta foi a seção “O que fazer”.

A camelagem vale a pena: vista da Trilha

A última parte do roteiro é a seção “Onde comer”. Nossa recomendação é coma em seu hotel. Não, não, não no restaurante do hotel, mas exatamente no seu quarto. Isso mesmo, passe em um supermercado compre ótimos vinhos por incríveis quatro euros, queijos nunca antes degustados e a super francesa baguete e terá um jantar divino por uma pechincha. Quando mencionamos que tudo é caro por lá as exceções ficam por conta do triunvirato do vinho, queijo e baguete.

Espero que tenham gostado de meu primeiro roteiro e que façam uso dele.

Veja Também:

Porque não gosto de escrever roteiros de viagens

Itália – Roteiro de 3 semanas de Milão a Roma

13º Encontro dos Viajantes – Bali –  Galeria de Fotos


Responses

  1. Adorei!!! obrigada por compartilhar! Já estão prontos para escrever roteiros rsrs. Bjs

    • Oi Van

      valeu pela mensagem. O lugar é mesmo fantástico vale a pena checar e com o roteiro as coias ficam ainda mais fáceis.

      bjs

  2. Já esta anotado…. Jáestive em Marselha, e não tinha ideia de que havia algo t]ao interessante e tão perto…

    • É Ernesto

      pena que alguns lugares super interessantes só descobrimos depois de ter passado por lá, mas agora você tem uma boa desculpa para voltar.

      abs

      Eder

  3. Estamos viajando e sem muito tempo para comentar todos os meus amigos viajantes. mas. estamos lendo aos poucos. OK?

    • Ok Waltão

      sua razão é mais do que justificada: viajar é preciso.

      grande abraço e boas viagens

      Eder

  4. […] Confira o roteiro: https://quatrocantosdomundo.wordpress.com/2012/05/01/a-charmosa-vila-de-cassis-na-cote-d%C2%B4azur-fr… […]

  5. Edao, excelente roteiro e fotos. Minha duvida em relacao ao franceses: por que eles sempre caminham com uma baguete embaixo do braco?
    a) para parecerem mais franceses
    b) eles as usam como armas
    c) eles realmente as comem

    • Riq
      todas as respostas anteriores, rsrsrs. Se bem que a resposta a) é a mais convincente.

      abs

      Eder

  6. AR-RA-SOU!!!!
    Adorei que tenha topado o desafio e me surpreendido com um roteiro muito inusitado, realmente. Desde a escolha do local até o texto. ADOREI!!
    Eu estava viajando e não tive oportunidade de ler antes, porém a curiosidade estava me consumindo. Ainda bem que minha expectativa não foi frustrada; pelo contrário!
    Agora, espero com ansiedade o próximo post – sejam dicas de viagem ou qualquer outra coisa do gênero…
    Grande abraço!!
    Déborah.

    • Oi Déborah

      fico super feliz que tenha gostado. Isso mostra que pelo menos entendo alguma coisa de escrever roteiros.

      Também o lugar lindíssimo ajuda bastante na inspiração para o texto.

      grande abraço e continue nos acompanhando e desafiando.

      Eder

      • Pode deixar que continuarei acompanhando o “Quatro Cantos do Mundo”. Vocês aceitam novos colaboradores??

      • Oi Déborah

        aceitamos novos colaboradores desde que os textos e a maneira de viajar seja parecida com a nossa.

        bjs

      • Então, se aceitarem, escolho alguma viagem que tenha feito recentemente e escrevo um texto para vocês…
        Bjs,
        Déborah.

  7. Muito bom Eder/Fabi. Lembrarei de vocês e de vossos conselho quando passar por lá.
    Araço

    • Grande João

      este lugar é sua cara, bem classe “D”. Temos certeza que você vai adorar.

      abs

  8. […] A charmosa vila de Cassis na Côte d´Azur – França […]

  9. […] A charmosa vila de Cassis na Côte d´Azur – França […]

  10. […] A charmosa vila de Cassis na Côte d´Azur – França […]

  11. olá por um acaso é nessa cidade que existe uma fabrica de perfumes chamada fragance?

    • Ola Sarah
      desta vez não poderemos te ajudar. Não tenho a mínima ideia se tem uma fábrica de perfumes na cidade. Ao que tudo indica não, pois a vila é bem pequena e vive mesmo do turismo.

      abs

      Eder

  12. […] A charmosa vila de Cassis na Côte d´Azur – França […]

  13. Eder e Fabi, bom dia! Eu e meu marido estamos indo para a França e vamos em Cassis no dia 07/10/2015. Queremos fazer a caminhada. Gostaria de saber se são de fácil acesso os locais de fazer as caminhadas (apesar do terreno pedregoso, eu sei), se há sinalização para sabermos onde começa e se paga algo? E de quanto tempo são os percursos? Obrigada!

    • Ola Daniela
      sim as caminhadas são de fácil acesso. Basta perguntar a qualquer um na vila que eles te indicarão o caminho. No caminho também encontrarão muitas pessoas indo e vindo no trajeto.
      Não se paga nada para entrar e até a última calanca são uns 5 quilômetros. Se for caminhando direto vai gastar um hora, mas com certeza vai demorar mais pois vai parar para fotos e banhos nas outras calancas.

      boa viagem

      Eder

  14. […] 4) Cassis – França […]

  15. […] A charmosa vila de Cassis na Côte d´Azur – França […]

  16. […] é fundamental fugir das multidões. Se ao invés de Nice o turista tivesse optado pela pequena e charmosa Cassis também na Cotê d´Azur, teria se esbaldado com a mesma beleza no mar Mediterrâneo francês, mas […]

  17. […] A charmosa vila de Cassis na Côte d´Azur – França […]

  18. olá!!! adorei seu blog, mas não consegui te seguir pelo WordPress!
    puxa, como assim de Cassis não é bonita??? puxa, eu achei linda , apesar de ser cheia de pedrinhas… rsrsrs mas aquele azul é demais !🙂 as calanques visitei num daqueles barquinhos… achei maravilhoso, porém fiquei com vontade dessa trilha q vc comentou… cada vista hein???? heheh parabéns pelo blog! tá mto legal!

    • Ola
      Cassis é bonita sim, mas as praias da cidade são bem normais, não são paradisíacas como as calanques. Estas sim são de cair o queixo, pelo menos na minha opinião.
      Realmente a trilha é bem legal, você acaba passando por várias calanques com visuais maravilhosos

      bom que gostou do blog
      bjs

      Eder

  19. […] Blog Quatro Cantos do Mundo […]

  20. […] A charmosa vila de Cassis na Côte d´Azur – França […]


Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Categorias

%d blogueiros gostam disto: