Publicado por: Rafa Custodio | 09/08/2012

Vale a pena planejar uma viagem de Volta ao Mundo?

Quando for a um lugar disputado, planeje bem.

Uma coisa que sempre digo em minhas aulas e palestras é que “o planejado é exatamente o que sabemos que NÃO vai acontecer”. Então, por que se dar ao trabalho de planejar, criar objetivos, metas, estratégias? Porque o planejamento irá te preparar para o improviso!

Em nossa viagem de volta ao mundo, temos vivenciado fortemente essa relação complementar, não contraditória.

Investimos seis meses na preparação da viagem. Primeiro, o objetivo: conhecer e vivenciar diferentes culturas, vivendo a partir de nossas economias. Na sequencia, traçamos os guidelines:

  • Data de inicio: 1/julho/2012
  • Duração: um ano
  • Continentes: todos, exceto America do Norte (por já conhecermos)
  • Lógica: seguir o sol. Estudamos o melhor período em cada país, para não pegarmos frio ou chuvas intensas.
  • Orçamento: 120 dólares por dia

Com o objetivo em mente e esses guidelines, preparamos o planejamento geral: o que fazer antes da viagem e o roteiro da expedição propriamente dita. Fizemos inclusive um arquivo em Microsoft Project para gerenciar as diversas atividades pré-viagem (vacinas, providencias domesticas, compras, etc). Se considerarmos uma viagem como essa como um projeto, desses que vemos em nossas empresas todos os dias, garanto que é um dos bem complexos. Então,tivemos bastante disciplina na preparação, para poder ter mais liberdade na execução.

Quanto ao roteiro previsto, Começaríamos sentido leste, pela Europa; voltaríamos da Ásia para a America Latina. Simulamos um roteiro praticamente dia-a-dia. Para que? Para seguir como se fosse uma excursão daquelas de pacote, com horário para tudo? NÃO! Mas para entender as distâncias, os meios de transporte disponíveis, as principais áreas de interesse (e de não interesse). Todo esse planejamento nos trouxe conhecimentos críticos importantíssimos para quando a aventura começasse.

Roteiro previsto, para essas primeiras semanas da viagem:

Se no planejamento usamos muito da lógica do PM (Project Management), na viagem em si temos priorizado a lógica da inovação. Ou seja, saiba que erros irão acontecer. Erre rápido, erre barato. E, principalmente, aprenda com os erros. Assim, duas frases são recorrentes em nossos dias: “Tá tudo bem” e “Ah, mas agora a gente aprendeu”. A primeira nos da a tranquilidade de que, já que nosso objetivo, estabelecido lá atrás, é explorar, não importa muito o que aconteça, estamos explorando. Vamos ter que comer um sanduíche nas escadarias? Tá tudo bem. Entramos na rua errada? Tá tudo bem.

A segunda usamos para registrar o aprendizado. Carne na Itália? Ah, agora a gente aprendeu que tem que pedir “pio cota”, senão vem mugindo.

A liberdade do improviso, nos levou à França antes do previsto, para uma linda festa da Bastilha. Nos fez conhecer os Alpes franceses e italianos, totalmente fora do roteiro. Também nos levou a uma fazenda no interior da Franca, com, digamos, um estilo de vida ecológico demais pro nosso gosto, mas, tudo bem, a gente aprendeu!

O improviso, as vezes, traz recompensas como a descoberta desse lindo lago nos alpes franceses.

Roteiro real, até agora:

Agora, como não deixar o improviso tomar conta e acabar perdendo a mão e prejudicando todo o projeto? Sistemas de controle! Sim, isso mesmo, todo inovador deve fazer experimentos controlados. E o mesmo vale pra gente. Caso contrario, podemos sair facilmente do budget já aqui na Europa, e comprometer o restante da viagem. Ou podemos nos empolgar tanto com um país e esquecer das demais culturas a explorar.

Como em qualquer projeto, nesse controlamos três principais variáveis: escopo, tempo e orçamento. Como o escopo é explorar, a França de meu coração que me perdoe, mas precisamos ir adiante. Um dia a gente volta! Não dá pra fazer tudo em todo os lugares que visitamos. Como o tempo é um ano, ficamos atentos as semanas que já passaram e as que ainda restam, e também ligados na duração dos vistos ou autorizações de permanência. E o orçamento, controlamos semanalmente, consolidando os diversos meios de pagamento que estamos utilizando e fazendo os “apertos” necessários.

Então é isso: no final das contas, fazer uma grande viagem é aplicação pratica de muito que aprendemos no mundo corporativo. E imensa fonte de aprendizado.

Veja Também:

A nossa Viagem de Volta ao Mundo está só começando

Nossa Viagem de Volta ao Mundo não Acabou – Melhore seu CV: VIAJE

20 Dicas para Economizar nas suas viagens

Nossa Viagem de Volta ao Mundo não Acabou – Mundo Animal


Responses

  1. Ah, como eu queria ser organizada assim. Excelente post.

    • Oi Renata, obrigada pelo seu comentario. Eu sou mesmo “organizadinha”, para terror do Rafa, meu marido! Rsrsrs
      Mas, como eu disse, o planejamento nao pode engessar sua vida, especialmente uma grande viagem. Ele eh um norteador e um ensaio para os improvisos. Abra, MP

  2. Não tenho toda essa formação de planejamento, mas aos poucos aprendi que planejar deixa a gente mais flexível e menos frustrado quando algo sai do previsto! E fico feliz de ver que o lago de Serre-Ponçon (este da foto, perto da cidade de Savines-le-Lac) já está cheio de novo!!

    • Oi Natalia, obrigada pelo seu comentario. Eu tenho formacao profissional em planejamento estrategico mesmo. Dai essa minha veia corporativa!

      Ah, o lago eh esse mesmo. E foi uma visao paradisiaca! Abrs, MP

  3. Um dia faço a viagem de volta ao mundo. Acho que é o sonho de todo viajante.

    • Oi Mateus, tem sido mesmo uma grande experiencia. Ja estamos viajando ha quase 45 dias, o que eh muito mais que o que estamos acostumados nas ferias normais. Eh preciso adotar um ritmo diferente, mesclando visitacao com descanso e rotina, hostels com hoteis, planejamento com improviso. Se for um sonho, faca acontecer!

      • Um dia farei. Pode ter certeza.
        ficarei antenado em vcs

        Um abraço e boa viagem

  4. Adorei a matéria, espero q um dia me seja útil, pretendo fazer uma viagem dessas para lugares diferentes um dos outros, pretendo ir para a Europa, passear bastante, na cidade grande e logo depois ir aos países menores, depois o ponto principal da viagem, quero muito ir a Bali, bem, mas isso é no futuro, só tenho 13 anos, mas estou decidida a um dia fazer essa viagem.

  5. Ah, mentira! Além de ser apaixonada por todos esses posts lindos, comecei há algum tempo pensar em uma especialização nessa área de planejamento estratégico… recomendações? rs

    • Ola Carolina, estamos agora aqui no miolo da Turquia, na linda Cappadocia! Essa sim estava nos planos e está valendo muito. Que bacana seu interesse pela area de planejamento. Sim, recomendo os cursos da Business School Sao Paulo, do Insper e da HSM Educacao. Todas tem otimas estruturas, e cursos em varias especialidades, bem focados no mundo corporativo/business. Dependendo de sua formacao, vale investir numa pós mais completa. Porque, para ser uma boa planejadora, precisa ser uma boa conhecedora dos negocios. Se quiser trocar mais ideias, fique aa vontade para me escrever no mpaula.oliveira@hotmail.com. Abrs, MP

  6. […] Vale a pena planejar uma viagem de Volta ao Mundo? […]


Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Categorias

%d blogueiros gostam disto: