Publicado por: riqlima | 04/11/2012

Nossa Viagem de Volta ao Mundo não Acabou – Voltando para casa…

De todas as aventuras que você viveu em suas viagens, uma das mais difíceis pode ser voltar para casa. Após quase 17 meses de Volta ao Mundo retornei à São Paulo e em conversas com nômades que conheço de diversos países cheguei à conclusão que a palavra “casa” passa a deixar de ter o mesmo sentido de antes. E um sentimento de não pertencer a lugar algum aparece. Somente quem viajou por muito tempo entende esse sentimento que alguns chamam de “choque cultural reverso” e que Nelson Mandela descreve da seguinte forma: “não há nada como regressar a um lugar que está igual para descobrir o quanto a gente mudou”. No início a volta é bem bacana e podemos rever familiares e amigos que tanto tínhamos saudades na estrada, lugares que costumávamos frequentar, longos banhos quentes, etc. Após algum tempo no entanto, um sentimento de saudades passa a predominar…Saudades da estrada.

Viajar é um caminho, não um destino!

Cheguei à conclusão de que viajar e abraçar o mundo é um caminho sem volta. É a síndrome do eterno viajante. O sentimento de casa passa a estar em dois ou mais lugares do mundo e eles por definição física nunca se reunirão em um mesmo ambiente. Você quer voltar e quando volta quer ir de novo? Não perca seu tempo tentando explicar isso para quem não passou mais do que algumas semanas viajando e percebam a unanimidade desse sentimento em todos que passaram um bom tempo fora de casa. Seus velhos amigos e familiares irão te distrair em muitos momentos, mas não conseguirão curar suas saudades da estrada. Por mais incríveis e transformadoras que suas experiências tenham sido, dificilmente eles se interessarão, justamente por não partilharem dos mesmos valores que te levaram à estrada no primeiro momento. Você pode ter dividido seu coração com um finlandês que encontrou por 3 horas em um ônibus no Camboja, mas vai ter dificuldades em fazer seus amigos se interessarem pelas suas aventuras. Após um “Uau”, eles voltarão a falar dos problemas no trabalho, da Carminha na novela e de como foi a cerveja semanal no mesmo bar. É estranho porque muito aconteceu com você, enquanto os outros permaneceram mais ou menos iguais.

Riq Lima brincando em uma de suas casas pelo mundo…

Você perde familiaridade com sua casa, mas ganha consciência de mundo. As notícias internacionais serão vistas com outros olhos e você vai finalmente perceber a parcialidade, exagero e superficialidade que existe na mídia. Você se transformou em um animal de aeroportos, se adapta facilmente a qualquer cultura e virou um observador mais completo. E já que a vida é uma grande viagem, aplique em casa os conceitos que você aprendeu. Adaptação será uma questão de tempo, ainda que você nunca mais será o mesmo! Seja conciso ao contar suas histórias e o faça de uma maneira que os outros também cresçam com suas experiências, sem se sentirem frustrados, rebaixados ou com inveja. E guarde o melhor para si. Ao invés de se sentir sozinho, perceba que agora você faz parte do mundo, aqui e ali, passado e futuro. E nesses momentos de solidão, observe a real riqueza que você adquiriu em suas aventuras e elas o confortarão. Seja paciente e dê tempo ao tempo… E procure as coisas e as pessoas que te fazem sentir bem, seja em casa, seja na estrada. Os nômades mais experientes sabem que essas coisas e pessoas serão “casa” onde quer que você esteja. E lembre-se de que você não precisa pertencer a um só lugar!

A vida é uma grande viagem

Aproveite cada momento

Mantenha em casa a mesma atitude que você tinha na estrada: aprenda e divirta-se em todos os momentos. Mantenha-se aberto a coisas novas e considere sua casa parte da viagem. Seja um turista em sua cidade, conheça as pessoas e se interesse pela vida delas assim como você se interessou por tribos ao redor do mundo, conecte sua casa com o planeta e mais importante de tudo: não deixe que o preconceito, inveja, medo, vaidade e egoísmo (que você venceu em suas viagens) voltem a sua vida. Encare a rotina, o trabalho, as mudanças, como uma grande aventura. Dê valor a hospitalidade de quem te acolheu na estrada e mantenha contato com amigos distantes. Continue com uma vida simples e com o espírito em evolução. Não imponha limites aos seus sonhos e NUNCA deixe de sonhar… E perceba que sua viagem nunca acaba, afinal, nunca se sabe quando o pé vai coçar novamente e o chamado do mundão voltará a ser uma realidade…Pois, segundo Jack Kerouac, a estrada também é casa!

A estrada também é casa!

Veja Também:

Os sentimentos que experimentamos durante nossa viagem de volta ao mundo

Nossa Viagem de Volta ao Mundo não Acabou – As religiões mundo afora

Nosso irmão chinês – Vilanculos – Moçambique

Seres Humanos: tão iguais ou tão diferentes? – Nha Trang – Vietnã


Responses

  1. Sensacional Ric, realmente a volta é muito dificil e este sentimento de “casa” pode ser perturbador! O mais complexo de se entender e q vc descreveu muito bem, é o medo de retomar os velhos costumes, entrar numa rotina e aos poucos perder tudo aquilo que aprendemos e vivemos! Parabens, mto bom o texto!

    • Paulinha,

      Obrigado pelos elogios! Percebo que voce sentiu ou sente o mesmo que eu! Aceitacao tem sido bastante importante pra mim e a luta contra habitos ruins ‘e diaria! A palavra rotina me da calafrios, e acredito que parto antes que ela volte a ser parte de mim! E a continua lembranca e pratica de bons habitos faz com que estejamos sempre em contato com o que aprendemos e tanto valor damos!

      Obrigado novamente pelos elogios; boas viagens e melhores retornos!

      Riq Lima

  2. Perfeito:
    “Mantenha em casa a mesma atitude que você tinha na estrada: aprenda e divirta-se em todos os momentos. Mantenha-se aberto a coisas novas e considere sua casa parte da viagem. “

    • “Mantenha em casa a mesma atitude que você tinha na estrada: aprenda e divirta-se em todos os momentos. Mantenha-se aberto a coisas novas e considere sua casa parte da viagem.

      “também achei essa a melhor e mais significativa frase, se é que podemos separar algo do Todo descrito pelo Ricardo, pois sou alguém que sem nunca ter colocado o “pé na estrada” por mais de um mês, sinto pertencer a lugar nenhum, e considere o mundo minha casa!

      • *considero

      • Solange, tudo bem?

        Obrigado pelo elogio! Realmente nao precisamos ter saido de casa para entendermos a beleza da vida e a grandeza do mundo! É voltando para o lugar que saímos que passamos a perceber toda a experiencia…Viajar para mim é uma metáfora da vida! E nao precisamos pertencer a lugar algum. Onde estamos bem: isso é casa! Continue morando no mundo e viajando pela sua casa !

        Riq Lima

  3. Rick , Fez sentido para mim!
    Principalmente quanto a adptação a velhos hábitos, e ao pouco interesse demnonstrado por aqueles que não passaram por experiências semelhantes. Me emocionei com você. Bem vindo!

    • Ola Gisele,

      Obrigado pelas boas vindas! Realmente se adaptar nao tem sido fácil, e tenho lutado para manter os bons hábitos que adquiri nas minhas viagens! E tomar cuidado com velhos hábitos negativos que tendem a voltar rapidamente! Mas a prática é diária e assim vamos curtindo a volta! Fico feliz que tenha feito sentido pra voce e que voce tenha se emocionado! E quanto ao pouco interesse dos outros, não os culpe, eles apenas nao partilham dos mesmos valores que os viajantes!

      Boas viagens,

      Riq Lima

  4. Gostei muito dessa parte aqui ó: “Você pode ter dividido seu coração com um finlandês que encontrou por 3 horas em um ônibus no Camboja, mas vai ter dificuldades em fazer seus amigos se interessarem pelas suas aventuras.” – e nessas horas agradeço a existência dos blogs, porque tenho a mesma sensação, mesmo que em viagens menores.

    • Valeu Gleiber,

      Concordo com você, e essa é uma das grandes vantagens da Internet: aproximar pessoas de pensamentos semelhantes e mesmos gostos. E nada como compartilhar as alegrias e dores das viagens e de suas voltas com pessoas que entendem do que estamos falando!

      Absao e continue viajando!

      Riq Lima

  5. Adorei o relato Riq, dá a real sensação e a certeza de que ainda temos muuuito para conversar!!!
    E outra coisa importante: é muuuito bom ter você de volta, mas como não sei até quando, eu vou aproveitar!!!
    Beijasso
    Miriam Navas

    • Miiiii,

      Que bom que voce gostou! Foi feito da única maneira que conheço: com paixão e experiencia! Com certeza temos muito que conversar e em breve, pessoalmente, diminuiremos a lista de assuntos🙂 E vamos curtir juntos cada momento!! Beijo triplo ,

      Riq Lima

  6. Adorei a frase ” você nunca mais será o mesmo”. Isso é fato. Sinto na pele até hoje. Parabéns….experiência incrível a sua.

    • Leonor,

      É isso mesmo! Voce ja percebeu que o caminho nao tem volta! E isso é uma boa noticia, pois nos ensina a continuar despertos e dispostos a aprender sempre! Afinal, a vida é uma grande viagem!

      Obrigado pelo elogio,

      Riq Lima

  7. Riq,
    Que relato mais lindo e emocionante! A estrada é um vício, mas que vício bom!

    • Querida Flora,

      Muito obrigado pelos elogios! Fico feliz que tenha se emocionado! Concordo com voce: a estrada é um vício sem clínica de tratamento!!! Ainda bem!!!! E que continuemos usufruindo dessa “droga” por muito tempo!

      Riq Lima

  8. Sensacional!!!!! Sabe que fui transferida recentemente em função do trabalho para outra cidade, aqui do nosso lado, Santos, e muitas vezes me pego “enfrentando” essa situação que fui MUITO desejada e motivada por mim da mesma forma que vivenciei minha experiência de quase 2 anos fora de “casa”, do país, sei lá, já me sinto assim, sem “casa”, e precisamos? A casa é o “conforto” espiritual que podemos encontrar onde quisermos, depende somente de nós mesmos e me pego a cada descoberta de um comportamento, de um restaurante novo vivendo esse sentimento tão gostoso. Adorei seu trecho “Mantenha em casa a mesma atitude que você tinha na estrada: aprenda e divirta-se em todos os momentos. Mantenha-se aberto a coisas novas e considere sua casa parte da viagem.“ Um abraço, Vanessa

    • Querida Vanessa,

      Obrigado pelo elogio. Vejo que voce esta sentindo na pele essa ausencia de casa e ja percebeu que ela é eterna! Mas tambem voce ja encontrou o antidoto! Casa é onde nosso espirito está bem, nao importa o local fisico! E as descobertas de sua nova casa, fazem parte dessa grande aventura chamada vida (que nao passa de uma grande viagem)! Uma viagem que nao é tao longa para nao curtirmos cada momento intensamente e nem tao curta para ficarmos sofrendo a toa! E que os Santos te ajudem em sua nova “casa”🙂

      Abs,

      Riq Lima

  9. Amigão, parece que a volta foi exatamente como imaginávamos… Abração.

    • Grande Felipe,

      É isso ai meu caro, tudo como previamos! A pergunta agora é: qual o próximo passo?! Grande mestre pijama, espero que um dia possamos ir e voltar juntos!!

      Absao

      Riq Lima

  10. Olá Riq! Adorei seu texto, as usual! O meu “choque cultural reverso” foi dicifil, eu não compreendia o sentimento de pertencer a mais do que um lugar, a saudade me consumia e não ser compreendida me sufocava. Fiquei no vai e volta por um tempo até que decidi dar o tempo ao tempo e curtir a minha “casa” de fato. Precisei de 5 anos, consegui achar o meio termo, aceitar o fato de pertencer a mais do que um lugar, e encontrei o meu eixo. De fato: “Viajar e abraçar o mundo é um caminho sem volta.” Me fez uma pessoa melhor, e me faz oferecer o meu melhor.
    Bjao pra vc!
    Flavia Grohmann

    • Oi Flá, tudo bem?

      Tinha certeza que voce ia gostar desse, pois falamos sobre isso naquelas mensagens que trocamos! A volta tem sido mais dificil que eu esperava, mas vamos vencer mais essa etapa! Obrigado por dividir sua experiencia, entendo exatamente o que voce passou! E fico mais feliz ainda de saber que voce conseguiu achar o meio termo! Dar tempo ao tempo ajuda muito, apesar de a saudade e a incompreensao nao serem aliadas da paciencia! O mundo é seu, casa é onde voce esta bem e nada é irreversivel! E que bom que voce esta no seu eixo!! Beijos pra voce e vamos marcar para nos encontrarmos nessa selva de pedra! Ou no Alaska🙂 ou em alguma outra casa sua pelo mundo!

      Riq Lima

  11. Richas mtooo emocionante seu relato. Precisamos conversar mais irmao.
    Bjos

    • Scalia meu irmao,

      Obrigado pelo elogio, tenho certeza que voce ja sentiu na pele o que descrevi nesse texto! E concorda comigo que o caminho nao tem volta!! Agora é continuar curtindo essa grande viagem chamada vida! Com certeza temos muito que falar e espero resolver rapidamente essa questao 🙂

      Abs,

      Riq Lima

  12. Outro dia me disseram que conseguir pôr em parágrafos o que vc tem na cabeça e no coração é um dom, que vc, de fato, tem.
    Enhorabuena pelo texto incrível!

    Dany

    http://www.feriadopessoal.wordpress.com

    • Dany,

      Muito obrigado pelo elogio, realmente me emocionou, sem brincadeira! Escrevi usando as duas únicas ferramente que tenho: paixão e experiência! Quando as emocoes sao fortes, elas transbordam mais facilmente pro papel (ou computador, no caso🙂 )!

      Abs

      Riq Lima

  13. “Tudo estava igual como era antes ..quase nada se modificou..acho que só eu mesmo mudei..eu voltei..”

    É isso ai o importante é viver o momento presente…as lembranças e emoçoes vividas estarão para sempre no seu coração ..em suas lembranças e em sua vida..

    Imagino.. que realmente essas sensações são fortes…afinal você “rodou o mundo” ..e foram quase 17 meses..é tempo..é vida…

    Não dá para comparar nem um pouquiinho mas muitas vezes ao voltar de uma viagem curta …algumas vezes tenho essa sensação..vontade de ficar mais…vontade que a segunda feira não comece….vontade de “desbravar” outras praias ..outros locais…

    Mas contraditoriamente ao chegar em casa sinto uma coisa boa de “lar doce lar”..

    Mas o bom da vida está nessas situações…nas oportunidades que vivemos e nas muiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiitas que estão por vir..

    bem vindo!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

    • Mamis,

      Obrigado pelos conselhos e por seu amor incondicional! Ouvi outro dia que nao temos certeza do futuro, mas se vivermos um presente digno de ser lembrado, o futuro ja esta garantido! Pois, na pior das hipóteses, teremos um belo passado para nos lembrarmos!

      As vontades nasceram para serem satisfeitas! E casa é onde nos sentimos bem! E com voce, me sinto em casa em qualquer lugar do mundo!

      Obrigado pelas boas vindas! Que continuemos agarrando as oportunidades dessa grande aventura chamada vida!

      Te amo,

      Riq Lima

  14. Muito bom o relato! Apesar de eu nunca ter ficado tanto tempo viajando, sinto como se já tivesse feito algum dia, pois tenho um sentimento em relação ao mundo muito semelhante e muita vontade de sair pela estrada!
    E realmente tens o dom para a escrita, faz a gente não querer parar de ler!

    • Lalinha,

      Muito obrigado pelos elogios! Nao precisamos viajar o mundo inteiro para nos sentirmos parte dele. Moramos no mundo e viajamos pela nossa casa! E se voce tem vontade de sair pela estrada, tens o meu apoio incondicional!! Se voce ja construiu castelos no ar, a fundacao é o mais facil!

      Abracos,

      Riq Lima

  15. Riq, me identifiquei muito com o seu post. Eu e meu marido sempre comentamos, mesmo em nossas pequenas viagens, como as coisas e pessoas não mudam e nós voltamos cada vez mais mudados…
    Estamos planejando nossa volta ao mundo para início de 2013…. Então acho que iremos começar a te amolar para termos as melhores dicas! Rsrsrs.
    Sempre acompanho os seus post e me emociono com eles. Continue escrevendo sempre assim com o coração! PARABENS.

    • Pamela, tudo bem?   Em primeiro lugar, muito obrigado pelos seus elogios, sao muito importantes para mim! Em segundo, mas mais importante ainda: Parabens pela sua decisao! Se prepare pra maior, mais enriquecedora e divertida experiencia da sua vida! Voce e o maridao vao mudar mais ainda e ficar mais surpresos ainda com a imutabilidade de certas coisas! Voces tem todo meu apoio, dicas e o que mais precisarem no projeto de voces!   Abs,   Riq Lima

  16. Nossa querido eu me identifiquei com vários pensamentos seus, fiquei fora do Brasil quase 4 anos e a volta foi muito difícil , mas nada como o tempo pra deixar a realidade mais amena um beso no seu coração

    • Querida Erica,

      Me alegro que tenha se identificado e fico mais feliz ainda que tenha superado esse periodo e deixado a alegria contagiar novamente seu coracao! 

      4 anos é muito tempo mesmo, mas o próprio tempo é a solucao!!!

       

      Besos,

        Riq Lima

  17. Terminei de ler o post com lágrimas nos olhos, me senti abraçada.
    Acabo de voltar a minha cidade de uma viagem de 5 meses, absolutamente intensa!!! Eu estava me sentindo estranha e sem lugar, não sabia explicar o que era esse sentimento, mas esse post descreveu tudo.

    Só o tempo mesmo e nossa atitude positiva diante das situações para ajudar a lidar com tudo isso. Saber que existem outros viajantes compartilhando das mesmas sensações também.

    E que a vida continue sendo uma incrível viagem para todos nós!

    • Querida Danyelle, Tenha a certeza que nao esta e nunca estara sozinha. Somos bilhoes viajando por aqui e a viagem te mostrou que voce é parte de algo maior! Transforme esse sentimento estranho e sem lugar em flexibilidade e adaptacao, que com certeza voce aprendeu nas suas viagens!

       

      E fico feliz que voce se sentiu abracada pelo post, esse era o objetivo mesmo! 

      Atitude e pensamentos positivos e aproveite esse periodo entre viagens que voce esta tendo agora😉

       

      Um abraco e muitas boas viagens e retornos pra ti!

        Riq Lima

  18. […]   […]

  19. Sensacional Riq ! Só li agora que você compartilhou no face! Sábias palavras, lindo texto e o que mais me impressiona, é que mesmo depois de alguns anos você continua exatamente igual, fazendo o que queria, espalhando seus sonhos pelo mundo, transmitindo essa vibe boa, compartilhando o que você tem de melhor e mais precioso, o coração, além de grandes idéias, claro! Mais sucesso pra você…sempre!
    Meu trecho favorito: Seja paciente e dê tempo ao tempo…procure as coisas e as pessoas que te fazem sentir bem, seja em casa, seja na estrada, afinal essas coisas e essas pessoas serão “casa” onde quer que voce esteja!

    Super bjo!
    Jenniffer


Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Categorias

%d blogueiros gostam disto: