Publicado por: Eder & Fabi Rezende | 02/02/2014

Tudo que vi, vivi e experimentei de novo na Austrália by Amélie

Aprendi com minha mãe e com meu pai que o mais gostoso de viajar é conhecer coisas que não tem onde a gente mora ou aproveitar para fazer coisas pela primeira vez. E quanto mais longe a gente vai, mais coisas novas e diferentes tem para vivermos e experimentarmos. Por isso a viagem para Austrália foi tão legal. É muito longe do Brasil e por isso mesmo tinham coisas novas de montão para experimentar.

Tente algo novo em sua próxima viagem

Tente algo novo em sua próxima viagem

Aonde que eu dormia

Logo que chegamos, logo não porque demora muito para chegar lá, fomos direto para casa da prima de uma amiga da minha mãe. Coisa do meu pai e da minha mãe com sua rede de relacionamentos de viagens. Fizemos quase um couchsurfing, mas como a menina é estudante tivemos que pagar para dormir lá. Pegamos a chave com sua vizinha porque ela não estava na cidade. Quando vamos visitar amigos minha mãe nunca deixa eu mexer em nada. Agora imaginem uma casa só para mim sem os donos. Meu pai só me disse para devolver tudo pro lugar depois que eu tirasse. Muitos lugares para explorar. Gavetas ao montes para serem fuçadas, centenas de vidros de xampu no banheiro para serem abertos e muito mais. Espero que a dona da casa não leia este post, mas se ler não se preocupe, pois deixei tudo no lugar como meu pai falou. Descobri a primeira coisa interessante. O fogão chama fogão, mas não tem fogo. Ele esquenta, mas não sai fogo. Minha mãe disse que é elétrico.

No mesmo dia ainda fiquei sabendo que o supermercados australianos só vendem bebidas para crianças. Nada de cerveja ou bebidas de adultos. Depois explico como meu pai fez para comprar cerveja.

O segundo dia veio acompanhado de uma nova experiência. Iria dormir pela primeira vez em um albergue da juventude, também conhecido como hostel. Meu pai havia me explicado que é o hotel dos jovens que não tem dinheiro. Ele acertou metade. Realmente a galera economizava lotando a cozinha na hora do jantar para preparar sua comida. Agora não tinha jovem nenhum. Só velho. O mais novo tinha dezoito anos. Nova mesmo só eu com dois anos. E como tudo que é diferente, virei atração do albergue. Eu parecia palhaço em aniversário de criança, todo mundo queria conversar comigo e saber das minhas experiências de viagem. Eu só não entendia muito o que eles falavam, mas meu pai me ajudava, isso quando ele entendia. Foi legal ser celebridade por algumas horas, mas logo cansei.

Flying Fox Backpackers meu primeiro albergue

Flying Fox Backpackers meu primeiro albergue

Bem a tempo mudamos de novo e fomos dormir num camping. Este sem dúvida o lugar mais divertido para se dormir. No camping a gente dorme em uma casa que monta e desmonta. Não é igual sua casa que não sai do lugar. Cansou de morar no lugar você desmonta a casa põe no carro e muda para outro lugar. Minha vida mudou depois que eu descobri a casa de desmontar que os adultos chamam de barraca. Eu sempre fazia questão de ajudar meus pais a montar e desmontar a barraca, mas eles apesar de não dizerem nada sempre desconfiei que eles achavam que eu só atrapalhava. Também adorei porque a casa só tem um quarto, então eu sempre dormia pertinho do meu pai e da minha mãe. Eles é que não gostaram tanto porque a noite eu luto MMA, é pesada e mãozada em todo mundo. Na barraca tinha colchão, travesseiro e saco de dormir. E no carro que a gente viajava tinha fogão e geladeira. Tínhamos uma casa com rodas que é muito melhor que uma casa parada. Os campings ainda tinham banheiros super limpos, churrasqueira, piscina e praia de frente. O que eu poderia querer mais? Meus pais também gostaram pois passamos a maioria do tempo de um camping para outro.

Hora do jantar no camping

Hora do jantar no camping

Depois de atrapalhar, quero dizer ajudar a montar a barraca, hora de ir para dentro

Depois de atrapalhar, quero dizer ajudar a montar a barraca, hora de ir para dentro

Dormi também em hotel, estes comuns sem muita graça, onde você olha para cima e vê o teto ao invés de ver um céu estrelado. Quando estava num destes sempre perguntava ao meu pai quando voltaríamos para a barraca.

Por último também dormi numa casa, como convidada, pelo Couchsurfing. Isso também é coisa do meu pai e da minha mãe. Você fica amigo pela internet e pede para dormir na casa da pessoa, se ela deixar, você vai. E fomos nós três conhecer a família que nos receberia no dia 31 de dezembro. Eram a Casandra que era um ano mais velha que eu, o pai dela e a mãe dela. A mãe dela é japonesa, igual as pessoas que moram na Liberdade, mas é do Japão. O pai dela é da Nova Zelândia que é perto da Austrália, tem a bandeira quase igual da Austrália. Lembrei. É a terra do “Todos Pretos” aquele monte de cara fortão com cara de mau que jogam futebol com um ovo.  Chegamos e nem conhecemos a casa, fomos direto para rua ver a queima de fogos mais famosa do mundo. Aqui também foi legal dormir. A Casandra além de brincar comigo todos os dias, também me emprestou a cama dela para eu dormir.

Eu e minha amiga Casandra brincando de fazer comidinha enquanto minha lava a louça

Eu e minha amiga Casandra brincando de fazer comidinha enquanto minha lava a louça

Bichos

Na Austrália tem cada bicho esquisito. No zoolólgico eles me disseram que 80% dos bichos de lá, só exitem lá, não tem em outros lugares do mundo. O primeiro que eu encontrei foi o coala. É um ursinho de pelúcia com alma de bicho preguiça. Foi fazendo trilha no Noosa National Park que vimos esta fofura em cima de uma árvore. O bicho nem se mexe, parece que está sempre brincando de estátua. Depois de muito esperar ele deu uma olhada para gente tirar esta foto. Meu pai me explicou que tivemos sorte, pois ele passa 19 horas do dia dormindo e o resto do tempo comendo folhas de eucalipto. Ele é um dos meus bichos favoritos.

Depois de muito esperar ele posou para foto

Depois de muito esperar ele posou para foto

Depois do coala estava faltando ver o canguru né. Minha mãe escutou que tem três vezes mais canguru que gente na Austrália e a gente ainda não tinha visto nenhum. Foi lá no camping também em Noosa que vimos o primeiro. O canguru só come salada e ele gostou da graminha que ficava bem do lado da nossa barraca. Meu pai disse para não chegarmos muito perto porque ele poderia se assustar, mas quem tava com o maior medão mesmo era ele. Ele comeu um pouco, depois levantou (o bicho é grande) deu um sorriso para gente e foi embora. Deu dois pulos e já tinha sumido, parece que tem molas nos pés.

Um olho na grama e o outro na gente

Um olho na grama e o outro na gente

Para quem não gosta de campings e trilhas viu quanta coisa legal pode ter nestes lugares. Em outro camping encontramos mais um bicho estranho. É o peru do mato ladrão de comida. Os “bush turkeys” ficam passeando pelos campings como quem não quer nada e de repente roubam sua comida e saem correndo. Tomem cuidado com este meliante de alta periculosidade. Guardem as comidas dentro do carro.

Pega ladrão

Pega ladrão

Quase esqueci do último bicho que vimos na natureza, o dingo. Fomos visitá-lo na casa dele em Fraser Island. Parece um cahorro vira lata e dei o apelido de bicho papão para ele, pois come criancinhas. Lá em Fraser tem um monte de cartazes alertando para não deixar as crianças sozinhas na praia porque eles atacam.

Bicho papão, o dingo

Bicho papão, o dingo

Ainda faltava um bicho esquisito para gente ver: o TAZ. Como a gente não conheceu a Tasmânia que é a casa dele, tivemos que nos contentar em vê-lo no zoológico mesmo e que decepção. Aquele monstro feroz devorador de tudo que vê pela frente não existe. Encontrei um urso negro em miniatura que teimava em dormir mesmo eu fazendo um monte de careta no vidro da jaula para chamar sua atenção. Por isso eu continuo com minha máxima de não acreditar em ninguém com mais de cinco anos. Pai, mãe isso não vale para vocês tá.

Não são a mesma pessoa

Não são a mesma pessoa

Sem querer ainda encontrei no zoológico o wombat. Nome complicado e difícil também dizer com o que se parece. O que vocês acham? E se vocês acham que já tinham visto tudo de mais esquisito, apresento o ornitorrinco. Ele tem cara de pato mas é mamífero e bota ovo. Entenderam? Nem eu.

A foto é a melhor explicação

A foto é a melhor explicação

O país das crianças

Se o Brasil é uma criança, a Austrália é um país bebê, tem apenas 113 anos. Acho que é por isso que eles tratam tão bem a gente. Para onde você for, até na menor cidadezinha vai ter um playground para gente brincar. E não é parquinho igual do Brasil não, com aqueles brinquedos sem graça: roda-roda, escorregador, trepa-trepa e gangorra. Os playgrounds são radicais. Tem teia de aranha para escalar. E se cair não tem problema, o chão é macio. Gostei da ponte do rio que cai, cada pisada é um balanço. Sem esquecer do banco que você senta e ele gira sozinho até ficar tonto. Demais. Mas não é só isso. Tem camping com banheiro familiar. Um banheiro para toda família tomar banho junto, assim eu não precisava escolher entre tomar banho com meu pai ou com minha mãe. Nos aviões meu pai não precisava pesar a mochila que ele me carrega nas costas, é de graça mesmo nos aviões das low costs. Para os menos radicais, os carrinhos de bebê também não pesam e não pagam para andar de avião.

Escalando a teia de aranha

Escalando a teia de aranha

Balançando na ponte do rio que cai

Balançando na ponte do rio que cai

Piscinas

Alguém sabe me responder porque a água de todas as piscinas da Austrália é salgada? Para lembrar do mar?

Praia dos pelados

Um dia nós fomos em uma praia que todo mundo ficava pelado. Quase todo mundo, tinha gente que ficava com vergonha como minha mãe e não tirava a roupa. Meu pai disse que chama praia de nudismo. Para mim toda praia é praia de nudismo. Eu só nado pelada mesmo.

Chuveiros de campings

Nos campings que fomos fora da cidade tinha um chuveiro esquisito. Se no Brasil existe comida por quilo e só aqui, na Austrália eles inventaram o chuveiro por tempo. No camping de Noosa custa 1 AUD por três minutos de banho, depois disso a água para de sair. E não adianta fechar a torneira enquanto se ensaboa para economizar seu tempo, são três minutos de água saindo sem parar. Corre se não acaba a água ou enfia outra moeda. Já em Fraser você paga o mesmo dólar para três minutos, mas até a água esquentar já foi um minuto, então vai mais rápido ainda.

Bottle shops

As “lojas de garrafa” vendem também latinhas. Foi lá e só lá que meu pai conseguiu comprar cerveja, vende vinho também e tudo que criança não pode beber. É estranho ter uma loja destas quando você poderia comprar no mercado, mas lá não pode. Tem até praça que não pode beber estas coisas. Ficam lá os caras bebendo com um saco de mercado escondendo as garrafas. Engraçado, pois todo mundo sabe e finge que não sabe.

Aussie Bottle Shop

Aussie Bottle Shop

Ônibus em Sydney

Outra coisa que nunca tinha visto e nem meu pai e minha mãe que já viajaram o mundo. Você só pode pagar para pegar ônibus circular fora do ônibus. Não tem cobrador e o motorista não aceita pagamento. Tem que encontrar uma loja na rua que vende o bilhete. Para gente que não mora lá fica difícil.

Este que a gente tem que comprar

Este que a gente tem que comprar

Outras coisas diferentes da Austrália: não tem frentista. Você mesmo abastece seu carro no posto de gasolina. Fico imaginando as madames brasileiras fazendo isso. Tem estrada que você precisa de autorização para viajar e o pedágio não tem cabine de cobrança. Eles gostam tanto de acampar que as vezes esquecem do lugar. Vimos muitas famílias que passavam o dia no camping sem nem sequer olhar para a praia linda que ficava logo ao lado.

E para terminar as novidades, que já foram muitas. Adorei falar inglês. Thank you e bye bye.

Veja Também:

Histórias da Amélie

Nossa… Só podia ser mesmo Noosa – Austrália

Lugares Únicos no Mundo – Uluru – Austrália

Lugares Únicos no Mundo – 12 Apóstolos – Austrália

O melhor presente do meu primeiro aniversário – Aruba – Parte I

Dicas para dirigir na Austrália

Como alugar um motorhome para sua viagem pela Austrália


Responses

  1. Lindo lindo, amei🙂

    • Oi Tia Juju
      legal que tenha gostado
      bjs da Amélie

      • Own, fofa, linda linda

  2. Sensacional o post…. Esta menina vai longe, quer dizer ela ja foi longe! E, eu que tenho amigos que dizem que com crianças pequenas não da para viajar!

    • Oi Tio Ernesto
      meus pais não viajam sem mim, seja para onde for e tant eu como eles adoramos viajar juntos.

      bjs
      Amélie

  3. Amélie, sou sua fã! :)) Deu vontade de ir para a Austrália conhecer tudo isso também!!

    • Oi Tia Lu

      obrigada por entrar pro meu fã clube. A presidente é a tia Aguilera e tia Dani a vice.
      Se precisar de dicas da Austrália é sé me chamar

      bjs
      da Amélie

  4. Adorei a versão dela dos fatos. Quem dera, um dia, eu também tenha uma filha e possa privilegiá-la com viagens legais.

    • Oi Tia Andreza
      a minha versão é sempre a mais legal porque crianças como eu enxergam coisas que os adultos não vêem. Tomara mesmo que você leve sua filha para conhecer o mundo como meus pais fazem comigo.

      bjs da Amélie

  5. Amelie, adoramos seu relato da viagem! Muita coisa interessante que você viu, viveu e aprendeu!
    Vó Nick e Vô Jaum!

    • Oi vó Nick e vô Jaum
      foi bem legal mesmo a viagem , pena que vocês não vieram juntos.

      bjs da Amélie

  6. Post sensacional

  7. Vocês aí que escrevem sempre que me desculpem, mas só quero ler posts da Amelie agora rs
    Sensacional… Adorei =)

    • Tio Rafa
      meu pai pediu para você não falar assim se não eu vou ficar me achando o último brinquedo do parquinho.

      bjs da Amélie

  8. Vocês aí que escrevem sempre que me desculpem, mas só quero ler posts da Amelie agora rs
    Sensacional… Adorei =)

    • Tio Rafa
      meu pai pediu para você não falar assim se não eu vou ficar me achando o último brinquedo do parquinho.

      bjs da Amélie

      • hahahahahaha é pra se sentir mesmo. Quero mais rs =)

      • Tio
        prometo que logo logo tem mais

        bjs
        Amélie

  9. […] Tudo que vi, vivi e experimentei de novo na Austrália by Amélie […]

  10. […] Tudo que vi, vivi e experimentei de novo na Austrália by Amélie […]

  11. […] Tudo que vi, vivi e experimentei de novo na Austrália by Amélie […]

  12. […] Tudo que vi, vivi e experimentei de novo na Austrália by Amélie […]

  13. […] Tudo que vi, vivi e experimentei de novo na Austrália by Amélie […]

  14. […] Tudo que vi, vivi e experimentei de novo na Austrália by Amélie […]

  15. […] Tudo que vi, vivi e experimentei de novo na Austrália by Amélie […]

  16. […] Tudo que vi, vivi e experimentei de novo na Austrália by Amélie […]

  17. Muito legal, adorei o tom do relato!🙂

    • Valeu Tio Carlos

      tem uma aba la no blog só com os posts que escrevi “Histórias da Amélie”. Você vai gostar de ler.

      bjs da Amélie

  18. […] Tudo que vi, vivi e experimentei de novo na Austrália by Amélie […]

  19. […] Tudo que vi, vivi e experimentei de novo na Austrália by Amélie […]

  20. […] Tudo que vi, vivi e experimentei de novo na Austrália by Amélie […]

  21. Nossa. amei este post……..uma linguagem gostosa de ler. parabéns….

  22. […] Tudo que vi, vivi e experimentei de novo na Austrália by Amélie […]

  23. […] Tudo que vi, vivi e experimentei de novo na Austrália by Amélie […]

  24. […] Tudo que vi, vivi e experimentei de novo na Austrália by Amélie […]

  25. […] Tudo que vi, vivi e experimentei de novo na Austrália by Amélie […]

  26. […] Tudo que vi, vivi e experimentei de novo na Austrália by Amélie […]


Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Categorias

%d blogueiros gostam disto: