Publicado por: Quatro Cantos do Mundo | 19/07/2015

A E(in)volução das civilizações ao longo do tempo

Todo viajante é um curioso por natureza e nós não somos diferentes. Tudo que vimos nos livros e aulas de História já não era suficiente para saciar nossa sede de conhecimento. Este foi um dos motivos pelos quais ficamos um ano e meio viajando ininterruptamente. Mas quando você conhece de verdade um lugar que era apenas uma página do livro de História da quinta série as comparações são inevitáveis. Muitas vezes a decepção, fruto da alta expectativa gerada pelos livros, vem de forma arrebatadora. Onde foi parar aquela sociedade desenvolvida, progressista, moderna e avançada que os livros juravam existir? O choque de realidade é duro, mas extremamente importante para não continuarmos a viver na ignorância.

A E(in)volução das civilizações ao longo do tempo

A E(in)volução das civilizações ao longo do tempo

O Egito é o melhor exemplo desta dita involução das civilizações. A civilização egípcia cujo período áureo se deu entre 1.550 e 1.070 a.c. foi responsável por importantes realizações que são úteis a humanidade até os dias de hoje como: desenvolvimento de técnicas de mineração, aprimoramento de novas técnicas de construção e topografia que permitiram a existência das pirâmides mais famosas do mundo, invenção dos primeiros navios conhecidos da Humanidade e desenvolvimento dos primeiros sistemas de irrigação que foram a base de florescimento de sua sociedade. Infelizmente quem visita o Cairo nos dias de hoje não vê nem sombra de toda esta modernidade e desenvolvimento. Para chegar às conhecidas pirâmides por conta própria você terá antes que literalmente enfrentar dezenas de locais querendo te vender desde um passeio ou souvenir até uma diária no melhor e mais barato hotel da cidade. O trânsito é caótico e fica ainda pior quando taxistas reduzem a velocidade e encostam no meio fio tentando desesperadamente uma corrida de um turista que pode significar até dez vezes o valor cobrado de um local.

Impressionante a quantidade de entulho e sujeira no telhado das casas

Impressionante a quantidade de entulho e sujeira no telhado das casas

A sujeira nas ruas também impressiona e nem mesmo as verdes e transparentes águas do Mar Vermelho são poupadas. É triste mergulhar num dos mares mais deslumbrantes do planeta e se deparar com garrafas PET “nadando” lado a lado com a fauna marinha mais exuberante já vista em minha vida. Nem mesmo a estabilidade política de outra hora existe mais. Então me pergunto: onde foi parar aquela civilização egípcia dos livros?

Não muito longe dali está outra civilização que sumiu do mapa sem deixar vestígios e não se trata de Atlântida a cidade perdida. Cruzando o Mediterrâneo a noroeste do Egito está a Grécia. A civilização grega é o berço da democracia. Sim a democracia que nós brasileiros esperamos por longos vinte e um anos nasceu lá. Só esta realização já bastaria para esta sociedade antiga ser reconhecida por todos nos dias de hoje, mas foram os helênicos que também criaram a primeira universidade do mundo, a Academia de Platão. As Olimpíadas modernas foram inspiradas nas antigas competições gregas. Realizações nas áreas de filosofia, literatura, escultura e teatro também são abundantes e por isso ninguém duvida que a atual cultura ocidental seja inspirada na Grécia antiga. Muitos podem pensar que minha comparação será baseada na crise econômica sem precedentes vivida pelo país atualmente, mas não. Quem já foi a Grécia é unânime em afirmar que a pior face helênica é a falta de polidez e cortesia de seu povo. Obviamente que existem exceções, mas na grande maioria das vezes os gregos são rudes, brutos, toscos e bruscos entre eles mesmos e com os turistas que podem ser a fonte tábua de salvação de sua dilapidada economia. Então me pergunto: onde foi parar a gentileza e civilidade da sociedade grega dos livros de História?

O Império Persa. Mas quem eram os persas? A Pérsia fica onde atualmente está o Irã. Este império se estendeu desde a região da atual Índia até a fronteira com a Grécia, dominando parte do Egito e toda Ásia menor. Entre suas realizações estão: a construção de milhares de quilômetros de estradas que ligavam as principais cidades do império, a padronização do sistema de pesos e medidas, o uso de uma moeda única para facilitar o comércio, a criação de um sistema de serviços postais que são precursores dos correios e pasmem, mas um dos alicerces de suas conquistas era a tolerância. Os povos conquistados podiam manter seus costumes, hábitos e crenças bastando pagar tributos ao imperador. Os escravos eram minoria e a maioria da população era de homens livres.

Ciro o maior imperador persa e sua tolerância

Ciro o maior imperador persa e sua tolerância

O Irã apesar de possuir uma população muito acolhedora e hospitaleira tem um governo que não preza muito pela tolerância. O Irã vive uma teocracia, onde ações políticas, jurídicas e policiais são submetidas às normas da religião. O resultado prático disso é perseguição política a dissidentes, cassação do direito das minorias, marginalização das mulheres na sociedade e muito atrito diplomático com outras nações. Então me pergunto: onde foi parar a tolerância do império persa?

Se nos deparamos com muitas decepções, as agradáveis surpresas vieram na mesma proporção. São as civilizações descritas como rudimentares e primitivas nos livros de História e que hoje são exemplos de desenvolvimento não só tecnológico, mas principalmente humano. Nosso melhor exemplo são os povos escandinavos. Caminhando pelas ruas de Copenhague jamais poderíamos imaginar que os tatara tatara tatara tataravós daquelas crianças calmas e felizes aterrorizaram a Europa séculos atrás com seus chapéus de chifres nas cabeças e machados em punho.

Tatara tatara tatara tatara netos dos vikings

Tatara tatara tatara tataranetos dos vikings

Os vikings saquearam e pilharam os países mais ao sul da Europa e causaram horror por onde passavam, mas também foram responsáveis por grandes inovações na tecnologia marítima. Antes temidos, hoje são admirados pela sociedade que construíram. Na Dinamarca a licença maternidade é de dois anos podendo ser dividida entre pai e mãe da forma que melhor convier ao casal, não há congestionamentos e nem poluição dos carros, pois todos utilizam a bicicleta como principal meio de transporte pelos milhares de quilômetros de ciclovias existentes.

Bicicletas por todos os lados em Copenhague

Bicicletas por todos os lados em Copenhague

Pagam-se altos impostos, mas o retorno é garantido com uma das melhores assistências sociais do mundo. A criminalidade é muito baixa já que praticamente não existe diferença social. Então me pergunto: onde foram parar os bárbaros que roubavam e saqueavam? Para saber mais sobre a sociedade dinamarquesa leia: No Reino da Dinamarca, de onde vem tanta felicidade?

Outra sociedade que mudou drasticamente em poucos anos foi a australiana. A colonização do país tinha como principal objetivo esvaziar a superlotadas penitenciárias inglesas. Assim é de se imaginar que entre os imigrantes forçados não existiam lordes ingleses, professores com PhD e nem pessoas gabaritadas para construir um novo país. No total foram enviados cerca de 168 mil prisioneiros da Inglaterra para a terra dos cangurus. Juntando este contingente que chegava aos nômades aborígenes que eram basicamente caçadores e coletores de vegetais não se podia prever a existência de uma sociedade altamente desenvolvida. Mas ao contrário de todas as previsões a Austrália está no topo de todas as listas de IDH, qualidade de vida e desenvolvimento humano que existem. Então me pergunto: porque o Brasil não teve o mesmo destino?

Playgrounds por toda Austrália. Investindo no futuro da sciedade

Playgrounds por toda Austrália. Investindo no futuro da sciedade

Por fim existem aquelas civilizações que o tempo passa, passa e elas permanecem quase que imutáveis. Conhecido como o maior império em área já existente no mundo com cerca de 33 milhões de quilômetros quadrados, exceto por sua extensão territorial bem menor atualmente (cerca de 1,5 milhões de metros quadrados) os mongóis vivem praticamente como viviam no século XIII, data do apogeu do Império Mongol.

o maior império em extensão territorial que já existiu

o maior império em extensão territorial que já existiu

Como atualmente flechas e cavalos não são mais símbolos de poder bélico, os mongóis continuam suas vidas nômades com a economia baseada na criação de animais já que a maioria das terras não é própria para agricultura. É o país com menor densidade populacional do mundo (2 habitantes/Km2), mas a pequena população não impede que um terço deles viva em extrema pobreza. Então me pergunto: se tiveram o domínio de quase todo o mundo porque não souberam tirar proveito disso?

Estes são apenas alguns exemplos de civilizações que evoluíram ou involuíram e com certeza vocês próprios podem citar ainda muitos exemplos. Então conte para gente qual a civilização que você quer destacar.

Veja Também:

No Reino da Dinamarca, de onde vem tanta felicidade?

Top 5 da minha wish list

Tudo que vi, vivi e experimentei de novo na Austrália by Amélie

TOP 10 Austrália – Lugares Imperdíveis

TOP 10 Grécia – Lugares Inesquecíveis


Responses

  1. […] A E(in)volução das civilizações ao longo do tempo […]


Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Categorias

%d blogueiros gostam disto: