Publicado por: Quatro Cantos do Mundo | 28/02/2016

Ilhas Maurício, o paraíso não é para milionários – Parte I

Sempre que ouvimos falar de Seychelles (ou Seicheles) ou das Ilhas Maurício (ou Ilhas Mauritius) se pensa em praias paradisíacas que são apenas para milionários ou para quem quer cacifar muito dinheiro numa lua de mel inesquecível.

Bem, vou dar uma boa notícia! Você não precisa ser milionário para conhecer as Ilhas Maurício. Seychelles, sim, onde um simples hotel pode facilmente bater os 300 euros e um barco de linha entre uma ilha e outra custa 100 euros. Mas, na minha opinião o conjunto das Ilhas Maurício bate muito Seychelles e com uma relação custo benefício infinitamente mais vantajosa, pois uma pousada simples para um casal custa entre 20 e 30 euros (eu não esqueci nenhum zero e me hospedei nela), e por algo como 50 a 80 euros você fica em um Hotel bem charmoso, ao lado da praia e com uma bela piscina.

Um por do sol que cabe no seu bolso

Um por do sol que cabe no seu bolso

Um passeio de dia inteiro de catamarã para você ver um dos mares mais bonitos de sua vida e peixes de todas as cores no fundo do mar custa 40 euros com almoço e bebidas incluídas.

Enfim, nada que assuste, nem mesmo nos tempos da Dilma e estou falando de preço de altíssima temporada quando fui, entre dezembro e janeiro. Se você for numa baixa temporada deve conseguir preços menores.

Sim, as Ilhas Maurício também têm hotéis fantásticos, com diárias que começam em 800 dólares, nos quais não me deixaram fazer uma visita.

E se eu te disser que é um país absolutamente seguro, com um povo simpático, livre da dengue e do Zika Vírus, um medo sempre presente nas nossas praias? E é um modelo de paz para o mundo, onde uma mesquita fica ao lado de um templo hindu e todos convivem bem. Trata-se do país com melhor padrão de vida da África, e ao mesmo tempo proporciona a experiência de conhecer outras culturas, como a islâmica e a indiana, com um dos maiores templos hindus fora da Índia.

A língua oficial é o inglês cultivado pela população de origem indiana e o francês é usado principalmente pelos demais nativos e na mídia. A economia ainda tem um forte componente na produção de açúcar e os canaviais são constantes nas paisagens, mas há uma indústria têxtil e uma grande atividade financeira, além do turismo.

O povo é amistoso e simpático com os turistas. Eventualmente algum nativo vai puxar conversar no ônibus, mas é algo amistoso e de curiosidade, não aquela conversa pregação desagradável onde se quer algo, ou vender alguma coisa.

E mais, como a ilha é rodeada por corais, isto é a garantia de cores azuis bebê a turquesa no mar e águas morninhas e transparentes e muitos, mas muitos peixinhos e provavelmente algumas tartarugas para fazer companhia no seu banho. Em várias praias que são consideradas patrimônio mundial da humanidade pela sua beleza ímpar, como Blue Bay e La Mome.

A beleza encantadora de Blue Bay

A beleza encantadora de Blue Bay

Estes do aquário são iguais aos que vi durante o snorkeling

Estes do aquário são iguais aos que vi durante o snorkeling

Que tal encontrar uma destas nadando ao seu lado

Que tal encontrar uma destas nadando ao seu lado

Você precisa conhecer as Ilhas Maurício, um dos paraísos preservados da Terra e pouco conhecido dos brasileiros.

Ah, mas é longe e o Caribe é tão perto! Verdade, mas infelizmente esta região está assolada pela dengue e pelo Chikungunya, e você não viaja para ficar doente, certo? É um desperdício! O Brasil, tem praias tão bonitas! É verdade, e se não considerarmos a praga da dengue, você deve primeiro conhecer pelo menos a Costa Ecológica de Alagoas, a Ilha Grande, e Boipeba, na minha opinião as praias mais bonitas do país, antes de ir para o exterior.

Assim, deixe-me sugerir este paraíso para a sua primeira ou segunda ou até mesmo para uma terceira lua de mel. Aliás, acho que faz muito mais sentido comemorar uma nova lua de mel, depois de alguns anos, pois é sinal de que a paixão inicial superou as ilusões e se transformou num amor verdadeiro quando conhecemos de verdade nossa cara metade e aceitamos o outro como é.

Esta viagem fica melhor ainda se você misturar dois passeios em um, juntando as Ilhas Maurício, com alguns dias em Capetown e um safari na África do Sul, ou melhor ainda na menos conhecida, mas mais bem preservada Namíbia, onde você terá passeios de manhã cedo e de tarde, sobrando uma boa parte do dia para curtir seu amor. E, se por acaso, esta for uma viagem com crianças, fique tranquilo, elas vão aproveitar e muito.

Desde já eu vou lhe pedir com toda humildade, minhas desculpas. Não estou fazendo um guia completo das Ilhas Maurício, mas apenas relatando uma semana agradável de férias e as fotos foram tiradas com uma câmara compacta. Assim, com certeza faltam algumas informações e apesar de ser uma ilha pequena, eu não consegui dar a volta completa no curto período em que pude tirar férias. Todas as informações que estou dando refletem minhas opiniões pessoais e não tive cortesia em nenhum dos lugares recomendados.

Na chegada do avião você já vai ver um mar lindíssimo e a minha sugestão de roteiro é chegar e se hospedar na região de Mahebourg. Procure contatar com o seu Hotel um receptivo, sai mais barato do que os caros táxis do aeroporto.

Recomendo três opções:

– Se você quiser apenas um lugar para dormir, o Albergue Saladier é uma pensão familiar, limpa e honesta, por apenas 30 euros o casal. Não tem site, pode ser reservado através de sites como o booking.

Albergue Saladier, instalações simples e limpas

Albergue Saladier, instalações simples e limpas

– Com muito charme tem a pousada L Osseu de Paradis a poucos metros do parque nacional numa faixa de 60 a 90 euros.

L Osseu de Paradis, opção um pouco mais sofisticada

L Osseu de Paradis, opção um pouco mais sofisticada

– Outra opção confortável é a Península Bay Hotel e com a vantagem de ser pé na areia e com uma infra bem agradável e all included, cobrindo bebidas alcoólicas, refeições e até passeios de barco, ao lado do parque marinho. Fiquei lá e gostei da gentileza de poder pagar uma noite e aproveitar toda a infraestrutura do hotel até as 18 horas do dia  seguinte quando fui pegar o voo. Ainda paguei uma tarifa promocional de 105 euros. O único ponto negativo do Hotel é receber um pouco do barulho do aeroporto, mas nada que incomode muito já que os voos não são tão frequentes e o “clima de resort”, com um pouco de barulho na piscina

Uma opção ao estilo resort

Uma opção ao estilo resort

Em Mahebourg você tem 3 passeios imperdíveis. O primeiro é a Blue Bay, uma das praias mais bonitas que já vi, onde você deve fazer um passeio no barco do fundo de vidro, ou melhor ainda, um snorkel e conhecer toda a variedade dos peixinhos que vão se revelando a medida em que você vai contemplando a natureza. Basta pegar o ônibus no terminal e por menos de 1 euro em 20 minutos você estará lá.

Também vi estes no fundo do mar

Também vi estes no fundo do mar

A primeira parada do ônibus (segundo passeio sugerido) deve ser na baía de onde saem os barcos para a Ilha aux Aigrettes, que se alcança facilmente pelo ônibus que vai para Blue Bay. Rapidamente pelo custo de 20 euros você vai ser levado pelos guias da Fundação da vida selvagem das Ilhas Maurício para um inesquecível passeio numa Ilha que procura mostrar como era a natureza antes da chegada dos navegadores.

Prepare-se para um encontro com as simpáticas tartarugas gigantes que tem mais de 1 metro e vivem por 100 anos. São completamente inofensivas e vivem em liberdade na ilha, assim como algumas espécies de pássaros que só existem nas Ilhas Maurício, como a pomba branca e vermelha. Vá com tênis, o solo é bem vulcânico.

Encontro com as gigantes na Ilha Ilha aux Aigrettes

Encontro com as gigantes na Ilha Ilha aux Aigrettes

Inofensivas e lembram as de Galápagos

Inofensivas e lembram as de Galápagos

Mas nem só de tartarugas vive a Ilha aux Aigrettes. A praia é belíssima

Mas nem só de tartarugas vive a Ilha aux Aigrettes. A praia é belíssima

No terceiro dia você pode fazer um passeio de barco para a Ilha dos Cerfs em um catamarã, onde você tem uma bela visão da costa e passeia nesta ilha com praias paradisíacas.

Minha sugestão é ficar dois dias num bom hotel, para descansar da viagem quando chegar. Mas, quando fizer o passeio de barco, mude para um hotel mais simples no dia anterior e no dia do passeio. Você economiza bastante e sua qualidade de viagem será a mesma.

Você também pode chegar na Ilha dos Cerfs, pegando um ônibus ou táxi, até a cidade de Trou de Eau Douce, uma pequena e simpática vila de onde saem frequentes barcos para as ilhas. Leve seu lanche, pois as poucas opções de comida na ilha são caras. Se for ficar nesta Cidade, recomendo a honestíssima Pousada Familiar Golden Shell Residente, com nota 9 no boooking, situada ao lado do ponto de ônibus e o camaradíssimo preço de 20 euros.

Ilha dos Cerfs (foto do site mauritiusattractions.com)

Ilha dos Cerfs (foto do site mauritiusattractions.com)

No quarto dia, pegue um ônibus ou táxi e fique um dia na capital Port Louis, uma capital com seu toque indiano, francês e africano. Vá conhecer seu simpático mercado, o pequeno museu nacional que conta a história do pássaro símbolo da ilha o Dodô que era grande e bobo (a origem do nome vem do português arcaico, e significa “estúpido”), sendo um dos maiores pássaros que habitou o planeta e embora sua carne não fosse boa, pela sua docilidade foi caçado implacavelmente pelos primeiros navegadores que chegaram na Ilha, os portugueses os extinguiram pelo “prazer” da caça.

Dê uma volta no Caudan Waterfront, o conjunto de lojas e restaurantes que fica perto do porto. O melhor mercado de artesanato está neste conjunto, e você pode comprar um Dodô fofinho de pelúcia para sua amada, as bonitas camisetas da ilha ou os deliciosos chás de baunilha. Prove também um suco de frutas fresquinho, ou um caldo de cana-de-açúcar (misturado com gengibre e menta, e rum se você quiser).

Melhor mercado de artesanato no Caudan Waterfront

Melhor mercado de artesanato no Caudan Waterfront

Depois você pode pegar um táxi ou um ônibus e conhecer os Jardins Reais de Paamplehouse, um dos maiores e mais antigos Jardins Botânicos do mundo e que é uma caminhada muito agradável, ao lado dos pássaros vermelhos e amarelos que estão soltos, dos jardins bens cuidados, e dos simpáticos veados, que buscam um carinho e uma graminha dos visitantes. Não esqueça seu repelente!

Bela vegetação dos Jardins Reais de Paamplehouse

Bela vegetação dos Jardins Reais de Paamplehouse

Simpáticos veadinhos

Simpáticos veadinhos

Alimentando os animais

Alimentando os animais

Depois deste dia, em meia hora de ônibus, você pode mudar sua base para a Grand Bay, ou melhor ainda na vizinha Mont Chosy, que é uma praia longe da Cidade, e com um visual incrível. Eu recomendo o Montchosy Beach Ressort, nota 8,5 no booking, um pé na areia, com diárias em torno de 90 euros e que tem uma das piscinas mais simpáticas que já vi, com borda infinita para a praia, com a vantagem de que como é um aparthotel, você pode levar sua bebida e petiscos para a piscina. Você vai curtir o Hotel!

Uma das melhores piscinas da minha vida no Montchosy Beach Ressort

Uma das melhores piscinas da minha vida no Montchosy Beach Ressort

Nesta parte, fiz o melhor passeio de barco da viagem, que contratei no próprio Hotel, e que custou 45 euros, que vai para Coin de Mire (ou Gunner´s Quoin)e Ilhas Gabriel. A primeira é uma pequena ilha com uma grande escarpa lar de uma infinidade de pássaros. A segunda é uma ilha deserta que fica ao lado de um farol (Ile de Plat), o barco para e você pode mergulhar ou ir na praia, e em seguida é recebido com um peixe fresco e uma cerveja gelada.

Ilha Coin de mire (foto do site: www.mauritiusandme.com)

Ilha Coin de mire (foto do site: http://www.mauritiusandme.com)

Ilhas Gabriel (foto do site http://www.dodolidays.com/)

Ilhas Gabriel (foto do site http://www.dodolidays.com/)

Também há uma parada na Ile de Plat (ou Flat Island) que é de tirar o fôlego. As fotos mostram o visual. Atenção: como uma parte do percurso é por mar aberto, o barco embora seguro, balança bastante!

O farol nos observando do alto da ilha

O farol nos observando do alto da ilha

Águas de vários tons na Ile de Plat

Águas de vários tons na Ile de Plat

A inesquecível Ile de Plat

A inesquecível Ile de Plat

Abaixo um mapa para melhor localização dos pontos sugeridos para passeio:

 

Como existem muitas atrações nas Ilhas Maurício não conseguimos descrevê-las todas num só post. Acompanhem o blog e não percam o segundo post da série Ilhas Maurício, o paraíso não é para milionários.

Este post foi escrito por nosso colaborador Ernesto, o pato econômico.

Veja Também:

Seychelles de A a Z

Lugares Únicos no Mundo – Arquipélago de Bazaruto – Moçambique

Zanzibar paraíso na Terra

Lugares Únicos no Mundo – Serengeti – Tanzânia

Lugares Únicos no Mundo – Navagio Beach – Zakynthos – Grécia

Lugares Únicos no Mundo – Milos – Grécia

A Fotogênica Santorini

Tudo que você sempre quis saber sobre São Miguel do Gostoso – RN

A charmosa vila de Cassis na Côte d´Azur – França

Nossa… Só podia ser mesmo Noosa – Austrália

Lugares Únicos no Mundo – Fraser Island – Austrália

 


Responses

  1. Bah! Muito lindo! Fiquei com vontade! Não tem jeito, ou eu ganho na loteria e mudo minha volta ao mundo para 5 anos, ou paro de ler… Bjs

  2. E é paraíso mesmo assim. Sensacional

    • Valeu Mariel

      grande abraço

      Eder

      • Abraço nos quatro cantos desse mundão que vocês visitam.

  3. […] Ilhas Maurício, o paraíso não é para milionários – Parte I […]

  4. […] Ilhas Maurício, o paraíso não é para milionários – Parte I […]

  5. […] Ilhas Maurício, o paraíso não é para milionários – Parte I […]

  6. Sensacional, obrigada por compartilhas suas experiências!

  7. Nossa, da vontade de parar tudo e conhecer.
    Lindas praias e ainda da pra conversar em frances.
    Vou dar essa dica de viagem para o meu marido.
    Quem sabe nao ganho um presente de comemoracao de sete anos de casamento…🙂
    Obrigada pelas dicas.
    Vou aguardar o outro post.

    • Ola Nilcilene

      seria um presente de casamento e tanto para o casal

      torcendo para que ele tb goste
      bjs

      Eder

  8. […] Ilhas Maurício, o paraíso não é para milionários. Recomendamos ler o primeiro post da série (Ilhas Maurício, o paraíso não é para milionários – Parte I) antes […]

  9. Estou pensando em ir na minha lua de mel, chegando lá no dia 29 de novembro… Estou com medo pois li em varios sites que é epoca com risco de ciclone e possiveis chuvas.
    Sou de Maceio, aqui tem praias lindissimas e fico com medo de me decepcionar se eu chegar em Mauricio e encontrar tudo nublado. O que voce acha dessa epoca?

    • Ola as chuvas são mais abundantes a partir de janeiro. A temporada é de ciclones sim, mas como as ilhas são muito pequenas e por isso é difícil que os ciclones acertem em chio as ilhas, mas há o risco

      abs

      Eder

  10. Oi, estou indo para ficar 20 dias na ilha, gostaria de saber se vale a pena alugar carro e como é o preço da gasolina por la.
    adorei seu post!

    • Oi Thais
      vale muito a pena alugar carro em Maurício, pois o transporte coletivo e precário principalmente para dar a volta na ilha.
      Não há pedágios, mas não se deve beber pois há blitzes frequentes da polícia.
      Não me lembro do preço da gasolina, mas acho que é semelhante ao do Brasil.

      boa viagem

      Ernesto


Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Categorias

%d blogueiros gostam disto: