Publicado por: Quatro Cantos do Mundo | 26/07/2015

10 dicas para não ser furtado em Lisboa, ou em qualquer outro lugar do mundo

Tac, clac, tac, tec….. O molejo do Elétrico 29 conhecido como antigo bonde de Lisboa que passa pelas ladeiras e casarões do bairro da Afama e Mirantes e pelo Castelo de São Jorge é um dos meus passeios prediletos no mundo. Especialmente nas ladeiras onde os trinta quilômetros por hora parecem lembrar uma montanha russa. Os bancos de madeira e o balanço do antigo bonde são uma volta ao tempo e é uma das melhores viagens nostálgicas do mundo. É um passeio barato, pois pode ser por todo o dia e com várias paradas para explorações nos botecos e ruazinhas desta encantadora cidade quando se compra o bilhete diário de seis euros que também serve para usar em todos os outros transportes de Lisboa, inclusive os planos inclinados.

Mas desta vez a viagem foi inesquecível e diferente de todas as outras. No final da linha ela não estava mais lá… a minha carteira.

Cuidado com os pickpockets

Cuidado com os pickpockets

Pois é, tem coisas que você pensa que só acontecem com os bobos e com os outros. Jamais comigo, um pato migrante e viajante experiente e mais ainda num destino bastante familiar. Depois de muito tempo sem perrengues em viagens eu fui vítima de um “carteirista” no elétrico (bonde) de Lisboa. O prejuízo até que não foi tão grave, cento e cinquenta euros dos duzentos e cinquenta que eu tinha ganho num overbooking da Air France. Fácil vem, fácil vai, mas a pior sensação é de se sentir literalmente um trouxa e vítima de um dos golpes mais antigos do mundo e que existe desde a idade média.
Porém, pela minha filosofia de vida, o importante não são os erros que você comete, mas o que pode ser aprendido com a lição. Assim, vale analisar as bobagens que fizemos para evitar que elas se repitam, conosco ou com qualquer um de nossos amigos viajantes, seja em Lisboa, ou em qualquer lugar dos quatro cantos do mundo.

Os acertos:

1) Não tinha uma quantidade significativa de dinheiro, nem cartões de crédito comigo. Estavam no cofre do hotel, assim, do ponto de vista financeiro deu para continuar a viagem sem nenhum problema. E se você não confia na hospedagem, sempre coloque seu passaporte e dinheiro em Money belts amarrados na cintura e por dentro da calça.

Use um destes e reduza drasticamente a chance de furtos

Use um destes e reduza drasticamente a chance de furtos

2) Não estava com o passaporte, apenas com uma cópia colorida, uma carteira de advogado e outra de estudante. Todos documentos foram encontrados, mas se não fossem, não seria um aborrecimento muito grande.

Os erros:

3) Usar calça jeans no lugar de calças de trekking que tem bolsos com velcro e zíper, ou outras de outdoor que se compra em lojas especializadas e que dificultam bastante o “trabalho dos amigos”. Noto que o “profissional” era bom, pois a carteira estava no bolso da frente, onde eu deveria ter percebido o que não senti: as mãos leves.

4) Não ter desconfiado da pessoa atrás que era um sujeito com uma cara esquisita e sem o interesse e a curtição de quem está viajando numa atração turística e não ter me afastado dele.

5) Não ter me informado bem. Embora Lisboa seja uma cidade segura, depois eu vi que o crime é comum, e segundo o Jornal Público o número de detenções de carteiristas que atuavam junto de turistas na área de Lisboa aumentou 200% em 2014. Certamente o número deve ser bem maior. Não foi por outro motivo que a carteira com os documentos foram facilmente encontrados: para que eu não fizesse queixa na polícia. Assim, é sempre interessante perguntar ao google e ver os golpes atualizados dos lugares onde você vai visitar, mesmo que sejam golpes conhecidos. Tenho certeza de que se eu soubesse da quantidade de casos e como eles aumentaram teria tomado muito mais cuidado.

6) Estar mais ligado. Relaxado em férias, almoço com bacalhau e vinho, depois de ter tomado uma deliciosa ginja (licor de cerejas), parar onde havia uma irresistível sangria com linguiças típicas numa feira de produtores locais… Estava bem longe de estar alcoolizado, mas se eu estivesse mais alerta acho que seria mais atento, seria menos provável que isto tivesse acontecido e com certeza estes sinais foram captados pela pessoa certa.

7) Estar longe da minha companheira de viagens, que estava sentada um pouco distante, quando você esta acompanhado um olha o outro e torna o golpe mais difícil.

As dicas:

8) Cuidado com seu celular. Mais do que as câmeras, os iphones e galaxys são facilmente vendidos e, portanto cobiçados. Evite atender o telefone e tirar fotos em lugares de risco.

9) A oportunidade faz o carteirista. Ao contrário do assaltante que prefere lugares de pouco movimento, este tipo de golpista procura lugares cheios e movimentados. Certamente o fato de o bonde estar lotadíssimo teve um papel importante. Assim, na medida do possível, evite aglomerações e se possível aguarde a próxima condução.

Transporte público lotado a preferência dos pickpockets

Transporte público lotado a preferência dos pickpockets

10) Atenção com mochilas e bolsas. Sempre as leve na frente. No caso das mochilas, um cadeado é sempre uma boa ideia.

Mochila na frente dificulta a ação dos gatunos

Mochila na frente dificulta a ação dos gatunos

Eu jamais deixaria de voltar a Lisboa, cidade que já visitei inúmeras vezes e na qual sempre descubro novas atrações. Desta vez fui ao Museu de Arte Antiga com seu quadro do sensacional artista da idade média Jeronimus Borch, ao Palácio de Queluz onde nasceu e morreu D. Pedro I e ao simpático e desconhecido museu de Lisboa em Campo Grande, uma antiga fazenda no meio da cidade e um ótimo lugar para você relaxar entre uma atração e outra.  E mesmo com desvalorização do Real Lisboa continua barata. É possível se comer bem com dez euros ou menos, pois quase sempre um prato serve duas pessoas e se hospedar bem com menos de trinta euros por pessoa.

Temos a falsa sensação de estarmos em segurança fora do Brasil.  Não estamos, apenas o crime é diferente e menos violento, seja no Centro de Londres ou mais ainda em Barcelona, uma das capitais deste tipo de crime, ou em Paris com seus golpes da lista e do anel, ou até mesmo no fantástico golpe do anão que existe em alguns ônibus do Aeroporto, e que funciona assim:  Um anão é colocado numa bolsa grande que vai no bagageiro. Quando o ônibus parte, ele sai da bolsa e rapina o que houver de valor e não esteja trancado…

Gangue dos anões

Gangue dos anões

E você já foi vítima de algum golpe? Ou de mãos leves? Conte sua história para gente.

Espero que tenham gostado. É por isto que nós viajamos primeiro, para você aproveitar mais.

Este post foi escrito por nosso colaborador Ernesto, o pato econômico.

Veja Também:

Palestra: Viagem Segura

Afinal qual a diferença entre Seguro Viagem X Seguro Saúde X Assistência Viagem e qual o melhor para mim?

Cuidando da saúde em viagens

Apresentação 48° Encontro dos Viajantes – Como economizar em sua próxima viagem

Quer viajar de graça? Pergunte-me como

Empresas de Aviação Low Cost na Europa

Economizando em Viagens

Quanto vou gastar para viajar?  Enfim a resposta certa

Como carregar seu filho em uma viagem?


Responses

  1. Muito bom esse post, moramos faz 4 anos na França e em setembro será a 1a vez que iremos para Portugal, aqui de onde saimos as passagens para lá são absurdas de caras (divisa com Genebra, aeroporto suiço então passagens padrão suiço) então sempre fomos adiando nossa visita para lá.
    Viajando pela Europa, mesmo sendo brasileira, ainda sou receosa quando visitamos algumas cidades, já tivemos alguns problemas em alguns lugares, mas nunca fomos furtados.
    Aqui em Genebra existe muito “batedor de carteira”, muitos mesmo!!! Então já aprendi a me cuidar, mas quando se está em algum lugar turistando, meio que esquecemos de algumas coisas.
    Obrigada pelas dicas, cuidado nunca é demais🙂

  2. Otimas dicas! Gracas a Deus ainda nao passei por situacao semelhante em viagens. Todo cuidado eh pouco, onde quer que estejamos.

    • Ola Nilcilene
      também nunca passamos por isso, mas é sempre bom seguir as dicas do pato

      valeu

      Eder

  3. […] 10 dicas para não ser furtado em Lisboa, ou em qualquer outro lugar do mundo […]

  4. […] 10 dicas para não ser furtado em Lisboa, ou em qualquer outro lugar do mundo […]

  5. […] 10 dicas para não ser furtado em Lisboa, ou em qualquer outro lugar do mundo […]

  6. […] Fontes – Melhores Destinos, Aeroporto Guarulhos, Quatro Cantos do Mundo […]

  7. Fiquei curiosa com a dica 10, como é o golpe da lista e do anel que os ladrões da Europa aplica, por favor queira explicar quatro cantos do mundo?

  8. Eu em Lisboa por algumas vezes escapei de ser assaltada nos electros as ciganas entram em grupos te cercam e começam a falar alto e ficam vendendo lembranças para os ‘passageiros escolhidos’ .. outro lugar perigoso é a rua Augusta …eu por conta de morar no RJ e andar sempre ligada , escapei da cilada. Todo cuidado é pouco.

  9. […] 10 dicas para não ser furtado em Lisboa, ou em qualquer outro lugar do mundo […]

  10. […] 10 dicas para não ser furtado em Lisboa, ou em qualquer outro lugar do mundo […]

  11. […] 10 dicas para não ser furtado em Lisboa, ou em qualquer outro lugar do mundo […]


Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Categorias

%d blogueiros gostam disto: