Publicado por: Eder & Fabi Rezende | 04/09/2012

No topo da África – KILIMANJARO – Dia 1: Pole Pole

Saímos do hotel por volta das nove horas da manhã em direção a entrada do Parque. Dentre as seis rotas existentes para se chegar ao topo escolhemos a Marangu Route, supostamente a mais fácil e por isso mesmo chamada de rota Coca Cola. Na verdade esta é a trilha com mais infra-estrutura, onde dormimos apenas em cabanas e não é necessário acampar, mas não há facilidade, afinal o frio e altitude são os mesmos em qualquer percurso.

Da janela do avião parece fácil

Uma hora e meia depois já estávamos na entrada do Parque, felizes, limpos e descansados. Um vendedor que de tão persistente tornou-se inconveniente tentava nos vender sticks e polainas. Normando e Eduardo mostraram seus sticks, ao que ele contestou que apenas um não era suficiente e que esta montanha era diferente das outras. Nos desvencilhamos do chato e nos próximos posts veremos se ele tinha ou não razão.

Guias, carregadores, cozinheiros e vendedores se misturam na porta do Parque

Ainda limpos e descansados

Mais uma hora e meia para vencer a burocracia local de assinaturas em livros, sem nada informatizado e começamos a subida. Ganhamos aproximadamente mil metros de altitude no percurso de ônibus e mais mil caminhando. Destino final: Mandara huts a 2.740 metros acima do nível do mar após oito quilômetros percorridos. Todos devem estar se perguntando: primeiro dia e só oito quilômetros, moleza assim? Poderíamos perfeitamente ir até o próximo camping ainda no primeiro dia, mas tudo tem uma razão de ser. Dezoito quilômetros seriam relativamente fáceis, mas 3.000 metros de desnível em um só dia poderiam ser fatais para o objetivo final: o cume.

Trilha coberta de árvores no primeiro dia

Animais que encontramos no caminho

Após a leve caminhada pela floresta repleta de árvores e animais, incluindo alguns macacos, avistamos Mandara. Um breve descanso, um banho de bacia (o único de todo percurso) e um chá quente antes do nosso passeio até Maundi Crater onde se pode ver a fronteira com o Quênia. Normando e Eduardo que só bebiam água mineral no hotel tinham duas opções: morrer de sede ou beber água do local. Escolheram a segunda opção que neste camping era bem palatável.

Vista do camping (Mandara Huts)

A direita na foto a fronteira com o Quênia

Maundi Crater

O dia que havia sido perfeito foi fechado com chave de ouro. Procurando ser gentil, tive o seguinte diálogo com nosso cozinheiro: What is your name? Good Luck. O cara não sabe inglês, logo pensei. No, no. I mean what is your name? My name is Good Luck. Ok, it is a quite different name. Nice to meet you. Fui correndo contar aos meus amigos o bom presságio. Tudo havia começado perfeitamente e Boa Sorte como passamos a chamá-lo era a prova viva disto.

Durante a série de posts sobre a subida do Kilimanjaro deixaremos inúmeras dicas. Pole pole significa devagar em swahili (língua oficial da Tanzânia). Nossa dica de diamante é: caminhe pole pole, no seu ritmo, caso contrário você pode não chegar.

Veja Também:

No topo da África – KILIMANJARO – Dia 2: Boa Sorte?

No topo da África – KILIMANJARO – Dia 3: Cadê meu passaporte?

No topo da África – KILIMANJARO – Dia 4: Só o cume interessa


Responses

  1. Estava lá, mas não subi o Kilimanjaro…meu joelho não deixou. Um dia voltarei preparado!!!

    Adoro as matérias!!!

    Até + !!!

    • Olá Guilherme

      olha a coincidência. A primeira vez que estive lá também não subi. Joelho eu tinha, faltou mesmo foi dinheiro na época, rsrsrs.

      Quem sabe você volta oa dia para chegar ao topo.

      abs

      Eder

  2. Eder, os primeiros dias estão bem descritos! Mas “pole pole” significa devagar devagarinho mesmo. Rsrs

    • Presidente

      o “devagar devagarinho mesmo” ficou por sua conta na tradução swahili-português, rsrsrs.

      Pule pule para você.

      grande abraço e passa o link pro Eduardo.

      abs

      Iiiiiiiiiiiiiiiiiider

  3. Excelente trip e first post Eder, mas o melhor de tudo ‘e a camisa do Corinthians do companheiro na terceira foto!

    • Riq meu irmão deixa a Anna descobrir o que é o Corinthians aqui no Brasil que você perde a namorada, rsrsr.

      Não sei o que é pior: a figura com a camisa do Corinthians ou o outro amigo que vestiu a camisa do Naútico no quarto dia de trilha.

      abs

      Eder

  4. Estou começando a gostar desta aventura. Parabéns aos tres pela coragem e determinação. Abraço

  5. Hoje não vamos comentar a postagem de vocês e sim, mostrar a nossa nova página: http://vaconferir.com.br/

  6. Muito bom este post Eder. Não conseguimos encaixar a Africa em nossa viagem de volta ao mundo, mas o Kili já esta na lista de desejos da proxima viagem. Se a Deia me escuta me bilisca afinal nem acabamos a viagem ainda,rsss.

    • Olá Daniel

      pena que a África não está no roteiro de vocês. É nosso continente f avorito.

      Mas é isso mesmo: quanto mais você viaja mair fica lista de desejos.

      grande abraço e boa viagem

      Eder

  7. Vai corinthians!! Isso eh para muitos…aqui no Brasil e no mundo.

    • Grande Eduardo

      fazer o que, você teve a coragem de se aventurar conosco então tem o direito de deixar sua mensagem, mesmo sendo do Curintia.

      abs

      Eder

  8. Post bacana, eder. Da Africa conheco pouco, mas o Kilimanjaro esta na minha interminavel lista! Nao basta ter joelho, acho que tem que ter folego tb, ne?! Boa aventura pra voces!

    Abracos
    Sani
    Caindo no Mundo Viagens

    • Olá Sani

      realmente a altitude não é fácil não, afinal são 5.895 metros.

      Falta oxigêncio, mas pole pole (devagar) chegamos lá.

      A África é um continente inesquecível e sugiro acrescentá-la em suas próximas viagens

      abs

      Eder

  9. […] No topo da África – KILIMANJARO – Dia 1: Pole Pole […]

  10. Eder,
    Verdade. Acredito que, independente da rota, o 1o. dia é muito similar: começando a se acostumar com o ritmo e muitas expectativas. Valeu!!
    Abraço
    Jodrian

    • Grande Jodrian

      estou de olho em todos seus posts do Kili. Grande aventura que fizemos, não?

      grande abraço

      Eder

  11. […] No topo da África – KILIMANJARO – Dia 1: Pole Pole […]

  12. […] No topo da África – KILIMANJARO – Dia 1: Pole Pole […]

  13. […] No topo da África – KILIMANJARO – Dia 1: Pole Pole […]

  14. […] No topo da África – KILIMANJARO – Dia 1: Pole Pole […]

  15. […] No topo da África – KILIMANJARO – Dia 1: Pole Pole […]

  16. […] No topo da África – KILIMANJARO – Dia 1: Pole Pole […]

  17. […] No topo da África – KILIMANJARO – Dia 1: Pole Pole […]

  18. […] No topo da África – KILIMANJARO […]

  19. […] No topo da África – KILIMANJARO […]

  20. […] No topo da África – KILIMANJARO – Dia 1: Pole Pole […]

  21. […] as pessoas é fazer trilhas ou trekking. Depois de contarmos nossas aventuras de subir o Kilimanjaro, Monte Roraima ou mesmo trilhas mais curtas de apenas um dia eles não se aguentam: Mas você perde […]

  22. […] No topo da África – KILIMANJARO – Dia 1: Pole Pole […]

  23. […] No topo da África – KILIMANJARO – Dia 1: Pole Pole […]


Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Categorias

%d blogueiros gostam disto: